Banco anuncia abertura de novas agências e Sindicato cobra convocação de concursados

28

Apoiado em medidas como as da MP 564, que garantiu ao Banco do Nordeste um aporte de R$ 4 bilhões, além de outras ações que fortalecem a Instituição, o BNB anunciou a abertura de 108 novas agências, sendo 18 no Ceará. O projeto de ampliação deve ocorrer por todo este ano (25 agências ao todo) e se estenderá até 2014, sendo que as novas unidades do Ceará incluem, além da região metropolitana (Fortaleza, Caucaia e Cascavel), outros municípios como Acaraú, Barbalha, Viçosa do Ceará, Acopiara, dentre outras.


A Comissão Nacional de Funcionários do BNB (CNFBNB) e o Sindicato dos Bancários do Ceará reivindicam, mais uma vez, a convocação dos aprovados em concurso público para cadastro de reserva, que desde 2010 aguardam algum parecer do Banco. “Se há previsão de abertura de novas agências, também deve haver previsão de contratação de novos funcionários e o Sindicato e a Comissão Nacional ratificam essa luta, por mais emprego e um atendimento digno à população”, afirma a diretora do SEEB/CE e funcionária do BNB, Carmen Araújo.

Terceirização – A CNFBNB e o SEEB/CE já vem denunciando diversas irregularidades com relação ao absurdo índice de terceirização dentro do BNB.


De acordo com o coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino, não há nenhum argumento para que o BNB não faça a convocatória do último concurso. Segundo ele, o BNB tem mais de três mil terceirizados para menos de seis mil funcionários. No Ceará, onde funciona a Direção Geral do Banco, a terceirização é ainda mais escandalosa registrando uma quase paridade entre funcionários e terceirizados. “O BNB cresceu quase cem vezes em oito anos, mas no quadro de funcionários esse crescimento foi de apenas 60%”, disse. Ele cobra ainda uma atitude mais severa da Diretoria do Banco ao reivindicar junto ao Governo a liberação das vagas que a empresa precisa. “A Comissão condena o artifício de realizar concurso para cadastro de reserva já que existe a demanda por funcionários, senão não haveria terceirização, e aí estão os aprovados no concurso. Só falta o Banco fazer a sua parte”, afirma.


O SEEB/CE cobrará também da direção do BNB celeridade no cumprimento do Termo de Ajuste de Conduta celebrado junto ao Ministério Público do Trabalho e que prevê a admissão de 390 concursados em substituição aos terceirizados. Além disso, denuncia a pequena margem de operacionalização do Banco dentro do Acordo de Basiléia, situação que está a exigir urgente elevação do Capital social da Instituição.


O Sindicato e a Comissão Nacional esperam que a iniciativa não seja apenas para desviar a atenção das denúncias de má-gestão no Banco, pois entendem que o BNB precisa urgentemente ampliar o seu ramo de atuação e, para isso, é necessário aumentar sua rede de agências e elevar o seu quadro de pessoal, através da convocação dos milhares de concursados, que há dois anos foram aprovados e até hoje não foram chamados para assumir seus postos de trabalho.