Banco anuncia PCR para todos, mas valor é insuficiente

32

A Contraf-CUT e o Itaú/Unibanco realizaram, na última quarta-feira, 11/8, uma nova rodada de negociação permanente. O banco garantiu que o Plano Complementar de Remuneração (PCR) será pago para todos os trabalhadores, inclusive para os funcionários do Unibanco. No entanto, o valor da proposta foi considerado insuficiente pela representação dos trabalhadores.

O banco anunciou para o início de setembro o pagamento de R$ 500,00 a título de antecipação do PCR. De acordo com a direção do banco, eles pretendem gastar o mesmo montante pago em 2008 aos empregados do Itaú, distribuído entre todos os trabalhadores, inclusive do Unibanco, o que resultaria num valor menor de PCR para 2009.


“Os bancários do Itaú não aceitarão receber um valor menor do que o do ano passado”, afirmou o coordenador da COE Itaú/ Unibanco, Jair Alves. “A conquista do PCR para todos os funcionários é positiva, assim como a extensão do PCR para os trabalhadores do Unibanco, mas o banco tem condições de melhorar sua proposta e nós vamos lutar para alcançar mais essa conquista”, avalia Ribamar Pacheco, representante da COE Itaú no Nordeste. Uma nova reunião será agendada para retomar a discussão sobre o tema.

INCENTIVO À APOSENTADORIA – O banco prorrogou o prazo de inscrição no programa de incentivo à aposentadoria até o dia 17/8. Poderão participar bancários lotados em prédios administrativos e que tenham pelo menos 50 anos de idade completos até o dia 31/07/2010. O banco não atendeu a reivindicação dos bancários de prorrogação do prazo de inscrição e diminuição da idade mínima de adesão para 48 anos. O banco também rejeitou a abertura do programa de incentivo à aposentadoria para os trabalhadores das agências. O programa já teve a adesão de 970 funcionários, sendo 791 do Itaú e 179 do Unibanco.

GARANTIA DE EMPREGO – Os bancários voltaram a insistir com o Itaú/Unibanco na questão da garantia de emprego durante o processo de fusão para todos os funcionários. Os trabalhadores cobraram e o banco aceitou apresentar na próxima reunião o quadro das demissões ocorridas em 2007, 2008 e 2009.

PCS – Os bancários cobraram do banco a discussão de um Plano de Cargos e Salários. O banco solicitou aos trabalhadores que façam na próxima reunião uma apresentação sobre os pontos principais para o movimento sindical em relação ao PCS. O tema será retomado em negociação futura.

CONVÊNIO MÉDICO – Trabalhadores e banco concordaram sobre a complexidade do tema e decidiram realizar uma negociação específica, em data a ser agendada.