Banco Central proíbe correspondente dentro de agências bancárias

26


Desde o dia 1º de março, por resolução do Banco Central, está proibida a prestação de serviços por correspondente bancário nas dependências da instituição financeira contratante. É o fim de uma novela, uma vez que o Conselho Monetário Nacional (CMN) adiou quatro vezes o prazo para os bancos retirarem correspondentes de dentro das agências.


Essa medida faz parte da resolução 4.035, alterando assim a 3.954. Inicialmente, em dezembro de 2011, o prazo era de 1º de janeiro de 2012, mas foi adiado para 4 de abril, depois para 1º de novembro, e então 1º de março de 2013.


É antiga a luta da categoria bancária pelo fim da terceirização e precarização do trabalho. Portanto, um dispositivo de lei que proíba a permanência de correspondentes dentro dos bancos é visto como um avanço. Os bancários estão dispostos, inclusive, a cobrarem fiscalização pelo cumprimento da medida.


Ocorre que o uso dos correspondentes bancários serve para diminuir custos e aumentar lucro. A luta do movimento nacional da categoria bancária é para que sejam contratados mais profissionais do quadro próprio dos bancos, muitos com experiência no trabalho bancário. Isso garantirá o fortalecimento da categoria, mais qualidade no atendimento e segurança.