Banco continua cortando empregos apesar do lucro de R$ 14,9 bilhões

6


Apesar do lucro líquido recorrente de R$ 14,959 bilhões nos nove primeiros meses de 2014, com crescimento de 34,1% em relação ao mesmo período do ano passado, o Itaú fechou 308 empregos nos últimos 12 meses, na contramão da economia brasileira que abriu 904.913 novas vagas entre janeiro e setembro deste ano. Somente no terceiro trimestre o lucro foi de R$ 5,5 bilhões, alta de 9,7%, segundo a análise feita pela Subseção do Dieese na Contraf-CUT.


Queremos mais empregos – O total de empregados da holding, em setembro de 2014, foi de 87.132 ante 87.440 em setembro de 2013, uma queda de 0,4%. A redução de postos de trabalho só não foi maior porque o banco passou a considerar no segundo trimestre deste ano os 1.194 empregados incorporados da Credicard.


Conforme o Dieese, o resultado apresentado pelo banco foi beneficiado principalmente pelo crescimento de 14,7% do produto bancário e pela redução de 8,7% das perdas de crédito. O retorno (rentabilidade) sobre o patrimônio líquido anualizado foi de 23,7%, com alta de 3,9 pontos percentuais em relação a setembro de 2013.


Receita com tarifas x Despesas de pessoal – A receita com prestação de serviços mais a renda com tarifas bancárias, cresceram 16,4% em 12 meses e somaram R$ 20,4 bilhões, enquanto as despesas de pessoal subiram 8,9%, totalizando R$ 12,2 bilhões. O Itaú paga a folha de pagamento do mês e ainda sobra outra metade para pagar a folha do mês seguinte


“Queremos mais contratações, o fim das demissões e da rotatividade, acabar com a sobrecarga de serviços, o estresse, o adoecimento e o afastamento de funcionários. É preciso melhorar as condições de trabalho”
Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante do NE na COE Itaú