Banco define critérios para promoção por merecimento

24

Aconteceu no último dia 4/12, em Brasília, nova rodada de negociação entre a Caixa Econômica Federal e a Comissão Executiva dos Empregados do banco (CEE Caixa). No encontro, as duas partes chegaram a um acordo sobre o processo de avaliação para a promoção por merecimento.


De acordo com o que foi acertado, poderão receber promoção por merecimento os empregados de todas as carreiras: TBNs que pertencem à nova tabela; escriturários que optaram por permanecer na tabela de 89; os TBs que permaneceram na tabela de 98; TBSs, tanto os da nova quanto da tabela anterior; os empregados da carreira profissional; e os auxiliares de serviços gerais. Serão considerados promovíveis os trabalhadores com mais de um ano de Caixa e que não tenham atingido ainda o topo da tabela do PCS.


Ficou definido que tanto a avaliação por merecimento quanto a distribuição dos deltas será feita por unidade, obedecendo à seguinte divisão: 30% dos empregados promovíveis de cada unidade terão concessão de dois deltas por merecimento; 50% receberá um delta; e 20% não receberá promoção por merecimento. Essa distribuição percentual será aplicada em cada unidades. O valor da promoção será definido por dotação orçamentária.


A CEE Caixa reivindicou que, caso haja eventuais sobras de recursos após a distribuição dos deltas de acordo com a divisão definida, a empresa utilize essa verba para a promoção de mais empregados, garantindo a utilização de toda a dotação. A Caixa ficou de estudar a reivindicação e dará um retorno em breve.


Critérios – Quanto à avaliação objetiva foram definidos os seguintes critérios: freqüência e assinatura eletrônica do termo de ciência do código de ética. Os critérios subjetivos foram divididos em fixos, que deverão ser obrigatoriamente utilizados, e variáveis. Os critérios fixos são “Atendimento ao cliente” e “Atitude colaborativa no trabalho”. Quanto aos critérios variáveis, os empregados de cada unidade deverão escolher, por meio de voto secreto, dois dentre os listados: “Conhecimento do trabalho”, “Disposição para mudanças”, “Relacionamento interpessoal”, “Capacidade de solucionar problemas”, “Foco no interesse público”, “Visão sistêmica”, “Capacidade de negociação” e “Iniciativa e criatividade”.


O método de avaliação será cruzado, contemplando auto-avaliação, avaliação entre os colegas e avaliação pelo gestor da unidade. O gestor também será avaliado pelo mesmo método.


A Caixa deverá divulgar os critérios até o início de janeiro para conhecimento dos empregados. O processo de avaliação será aplicado no primeiro trimestre de 2009 e as promoções serão retroativas a 1º/1.

Outro temas – Os representantes dos trabalhadores aproveitaram a reunião para solicitar informações sobre alguns itens que foram negociados durante a Campanha Nacional 2008. Sobre a negociação do auxílio-alimentação para os empregados que ingressaram na Caixa antes de 95 e se aposentaram depois de fevereiro/95, a Caixa informou que apresentará uma proposta em breve. Outro ponto cobrado foi a regularização da 13ª cesta-alimentação para os aposentados que garantiram o direito na Justiça. A Caixa disse que o problema é operacional e que irá cobrar as áreas competentes para que a situação seja normalizada de imediato. Quanto à revisão da tabela do PCS, a Caixa afirmou que está se esforçando para concluir o estudo a respeito até 31/12.