Banco destina apenas R$ 7,35 mi para PLR

71

Com a publicação do balanço de 2005, acusando um lucro líquido ajustado de apenas R$ 59 milhões 324 mil, o Banco do Nordeste anunciou a reserva de R$ 7 milhões 351 mil para pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) do ano passado. Esse montante representa 25% do valor destinado para pagamento de dividendos aos acionistas e vai significar uma PLR em torno de 50% da remuneração bruta de cada funcionário, a ser paga a pós a assembléia geral de acionista marcada para o dia 28/3.

A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/CNB-CUT) entende que a elevada soma contabilizada como ajustes de exercícios anteriores, no total de R$ 100 milhões 748 mil, prejudicou o funcionalismo no tocante à sua Participação nos Lucros e Resultados da empresa.
Os funcionários do BNB, que contribuíram com sua força de trabalho para o alcance de desempenho operacional recorde – R$ 6 bilhões, estão sendo penalizados por más gestões anteriores, que fizeram o lucro líquido do Banco cair de R$ 157,4 milhões para os R$ 59,3 milhões, após os ajustes.

“Isso é uma injustiça com o corpo funcional que precisa ter a sua responsabilidade e compromisso com a Instituição recompensados de alguma outra forma”, enfatiza o coordenador da CNFBNB Tomaz de Aquino.

PCR – A CNFBNB voltará nesta semana a fazer contatos com o Ministério do Planejamento (DEST) buscando acelerar a homologação do Plano de Cargo e Remuneração do BNB, já aprovado pelo Ministério da Fazenda. A partir do dia 9/3, a Superintendência de Desenvolvimento Humano deverá disponibilizar simulações da situação de enquadramento de cada funcionário no novo PCR, conforme compromisso assumido pela superintendente Zilana Ribeiro.

“Sabemos que esse novo Plano de Cargos e Remuneração está longe do ideal. Entretanto, é a partir dele que se pode vislumbrar alguma melhoria para o funcionalismo do Banco” afirma o Coordenador da Comissão Nacional, Tomaz de Aquino.