Banco do Brasil desbanca Itaú e tem maior lucro da história dos bancos

8


O Banco do Brasil, maior instituição financeira da América Latina, teve o maior lucro líquido da história dos bancos no País, com ganhos de R$ 10,03 bilhões no 1º semestre de 2013. Os dados são da consultoria Economática. Com isso, o BB desbanca o Itaú Unibanco entre os maiores lucros de bancos no País. O lucro de R$ 7,055 bilhões do Itaú Unibanco no 1º semestre é, agora, o segundo maior entre as instituições financeiras. Nos últimos quatro anos, o Itaú havia registrado os maiores lucros da história dos bancos brasileiros no primeiro semestre.


O lucro do banco foi puxado pelo forte resultado do 2º trimestre, quando registrou lucro líquido de R$ 7,47 bilhões, cerca de duas vezes e meia acima do resultado positivo obtido um ano antes, impulsionado pela venda de ações de sua área de previdência, seguros e capitalização, BB Seguridade. No primeiro trimestre, o banco teve lucro líquido de R$ 2,56 bilhões.


Redução de 276 empregos – O balanço mostra que em junho de 2013, o BB possuía 113.720 trabalhadores, o que corresponde a uma redução de 276 postos de trabalho em 12 meses, já que em junho de 2012, o banco tinha 113.996 trabalhadores. Com o corte de empregos, o BB faz companhia ao Itaú, Santander e Bradesco, que também extinguiram postos de trabalho dos bancários no primeiro semestre, na contramão da economia brasileira, que gerou empregos no período.


“10 bilhões de reais de lucro em seis meses são mais que suficientes para que o Banco do Brasil atenda as reivindicações de aumento real de salário, aumento do piso, PLR maior, aumento do mérito do plano de funções. Mas os funcionários continuam descontentes com a contradição da direção do banco e do governo: de um lado estabelecem redução de spread e juros e aumento de crédito, o que atende reivindicações históricas dos trabalhadores, porém, de outro lado, no Conselho de Administração do banco impõem que o BB tenha lucro com retorno de 17% sobre patrimônio líquido. Assim os funcionários sofrem com cobranças abusivas de metas e assédio moral”, analisa o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, e funcionário do BB, Carlos Eduardo Bezerra.


Outros números do balanço – O indicador de inadimplência do Banco do Brasil, com dívidas maiores que três meses, caiu para o menor patamar em 11 anos, segundo o balanço do banco. A carteira de crédito ampliada do Banco do Brasil encerrou junho em R$ 638,628 bilhões, expansão de 7,7% ante março e de 25,7% em 12 meses. Os destaques do período foram as carteiras pessoa jurídica e de agronegócios, que registraram aumentos em 12 meses de 28,8% e 32,8%, respectivamente.


Os ativos do Banco do Brasil alcançaram R$ 1,21 trilhão no primeiro semestre de 2013, crescimento de 15,5% em 12 meses, favorecido principalmente pela expansão da carteira de crédito. O retorno sobre o patrimônio líquido anualizado (RSPL) no conceito ajustado do BB ficou em 16,4% ao final de junho ante 21,2% visto um ano antes.