Banco do Nordeste lucra R$ 219 milhões e só destina R$ 19.777.000 para pagamento de PLR

13

O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) registrou um lucro líquido de R$ 219,7 milhões, segundo balanço publicado referente ao ano passado. Esse valor é 8,4% superior ao total do ano anterior, registrando ainda uma rentabilidade de 14,14% sobre o patrimônio líquido médio.


A explicação para o crescimento é dada pelo aumento de volume de operações de crédito. No final do ano passado, a carteira de crédito do banco era de R$ 23 bilhões, o que equivale a um aumento de 15,2% em comparação com o ano anterior. No entanto, a direção do BNB pretende destinar apenas R$ 19.777.000 para o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos bancários. Esse valor só dá para pagar a regra básica (R$ 878,00 + 80% do salário bruto), cujo valor já foi adiantado cerca de 20% e o restante deve ser pago em abril.


O banco não paga o adicional de PLR porque tem o limite de 9% do lucro líquido, imposto pelo DEST. Como o lucro do BNB foi 8,4% superior ao do ano anterior, a convenção da Fenaban já obrigaria o banco a pagar, caso não houvesse esse limite de lucro líquido. “Mais uma vez os funcionários do BNB são discriminados, pois Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal já pagaram o adicional e a direção do BNB submete-se ao limite de 9% do DEST. Isso é inaceitável e na próxima campanha salarial este fato não pode se repetir. Outra questão que merece repúdio é a não assinatura do Acordo de 2007, também por falta de autorização do DEST, o que está prejudicando principalmente os novos funcionários”, afirma o coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT), Tomaz de Aquino.

RODADA DE NEGOCIAÇÃO


A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) deve se reunir com a Superintendência de DH do Banco na quarta-feira, 20/2, em Maceió (AL), com o objetivo de dar continuidade às propostas debatidas na última reunião de negociação. Temas como ponto eletrônico, promoções, Plano de Funções, plano de custeio da Camed e GT da Capef estarão em pauta.