Banco e Comissão de Empresa negociam unificação da folha de pagamento

56

Quatro dias depois de o Grupo Santander Banespa anunciar a unificação das bandeiras, a Contraf-CUT cobrou da direção do banco que unifique também a folha de pagamento. O objetivo dos bancários é que os salários sejam depositados no dia 20 de cada mês.

A solicitação da Contraf-CUT foi feita na terça, dia 5/9, na segunda rodada de negociações com a direção do banco. Durante a reunião, os representantes dos trabalhadores apresentaram ponto por ponto a minuta de reivindicações complementares.

“Detalhamos todas as cláusulas e ressaltamos que existem conquistas dos funcionários do Santander Banespa que ainda não foram incorporadas na Convenção Coletiva da categoria. Queremos um acordo aditivo à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) da Fenaban para mantermos todas as garantias que lutamos muito para tê-las”, afirmou Paulo Stekel, diretor da Contraf-CUT e funcionário do banco.

Entre as reivindicações específicas estão a manutenção da estabilidade pré-aposentadoria de 36 meses, a garantia contra as demissões imotivadas, a criação de um grupo de trabalho para elaboração de um Plano de Cargos e Salários (PCS) e complementação de aposentadoria ao pessoal pré 75.

Também integram a minuta dos trabalhadores do Santander Banespa cláusulas específicas dos trabalhadores do antigo Banespa, a renovação e extensão de vários itens (como estabilidade e liberação remunerada pré-aposentadoria) e as novas cláusulas que tratam de questões como assédio moral, PCS e garantia de emprego baseada na regra 158 da OIT.

Além disso, a Contraf-CUT reivindicou na reunião o cumprimento do atual acordo até que as negociações terminem. O compromisso venceu no dia 31/8 e, conforme previsto no documento, foi prorrogado por mais trinta dias.

A próxima rodada de negociações ficou marcada para o dia 15/9, às 10h30, quando o banco deve responder às reivindicações dos bancários e se vai prorrogar o acordo atual até o término das negociações.