Banco economiza R$ 5 milhões no acordo da Licença-Prêmio, mas silencia sobre ação das folgas

23


Com o recálculo para baixo no valor total do acordo para restabelecimento da Licença-prêmio, o BNB economizou cerca de R$ 5 milhões, mas nem por isso sensibiliza-se com a proposta do SEEB/CE de recalcular os valores relativos à ação das folgas, de acordo com o que manda a justiça.


Pela decisão judicial, a quantidade de folgas suprimidas pelo Banco na gestão Byron (de 1997 a 2003) totaliza 60 e não 30 como calculado pelo Banco, uma vez que, no período de ingresso da ação pelo SEEB/CE os funcionários tinham direito a cinco folgas e mais cinco regalias.


O SEEB/CE, com objetivo de dar celeridade ao acordo das folgas, aceitou que o Banco indenizasse o equivalente a 65% de 30 folgas conforme já aprovado em assembleia e disponibilizasse como estoque 65% das 30 regalias, de forma que os valores seriam aqueles já calculados e divulgados, (relativos a 20 folgas) e o estoque para posterior acerto seria também igual a 20.


Há dois meses que essa alternativa foi colocada pelo Sindicato, mas a Direção do Banco sequer se dignou a apreciá-la em suas reuniões, afim de que alguma resposta fosse dada em respeito aos seus funcionários. E olha que, por essa proposta, os funcionários já estão abrindo mão de 35% de seus direitos.


Diante desse impasse, o SEEB/CE está convocando assembleia para dia 29/12, às 18h30 em primeira e às 19h em segunda e última convocação, com o objetivo de adotar posicionamento final sobre o assunto.