Bancos lucram alto, mas continuam fechando postos de trabalho

6


Os bancos privados continuam lucrando muito e têm todas as condições de atender às reivindicações dos trabalhadores. Mas mesmo assim, seguem fechando postos de trabalho. O Itaú, Bradesco e o Santander, que divulgaram os seus balanços do primeiro semestre de 2014, lucraram juntos R$ 19,7 bilhões. No entanto, fecharam 3.686 postos de trabalho no mesmo período, andando na contramão da economia brasileira que nos primeiros seis meses do ano gerou 588,6 mil novos empregos com carteira assinada.


Poucos dias antes da entrega da pauta dos bancários à Fenaban, as três maiores instituições privadas do País divulgaram seus balanços e, como vem acontecendo pelo menos nas últimas duas décadas, o lucro dessas empresas continua nas alturas. O Itaú é o campeão, por enquanto, com R$ 9,5 bi no primeiro semestre do ano. Logo depois vem o Bradesco com R$ 7,2 bi no período. O Santander acumulou R$ 2,9 bi nesses primeiros seis meses de 2014. Esses resultados representam incremento de 30,9% em relação ao mesmo período de 2013.


Itaú – O Itaú obteve lucro líquido de R$ 9,502 bilhões somente no primeiro semestre de 2014, o que significa crescimento de 33,2% em relação a igual período de 2013. Trata-se do maior lucro da história do banco considerando esse período, superior ao recorde dos primeiros seis meses de 2011, que foi de R$ 7,133 bilhões. Apesar desse resultado estrondoso, o Itaú continuou demitindo e extinguindo postos de trabalho. No primeiro semestre, foram cortados 1.363 empregos, mesmo com o banco passando a considerar o número de empregados vindos da Credicard.


Bradesco – Conforme análise do Dieese, o Bradesco lucrou R$ 7,3 bilhões, o que significa um crescimento de 22,9% em relação ao mesmo período do ano passado e 9,7% no segundo trimestre. Entretanto, o banco cortou 1.462 vagas no primeiro semestre. O fechamento de vagas foi ainda maior se forem comparados os últimos 12 meses: 2.924 empregos a menos. Assim, o número de empregados da holding em junho de 2014 caiu para 99.027 ante 101.951 em junho de 2013 (queda de 2,9%).


Santander – Já o Santander Brasil obteve lucro de R$ 2,9 bilhões, o que representa uma redução de 2,2% em comparação ao mesmo período do ano passado e evolução de 0,6% no segundo trimestre. O banco espanhol eliminou 861 postos de trabalho no primeiro semestre.  O corte também foi ainda maior nos últimos 12 meses, quando o banco fechou 2.942 postos de trabalho.


“Os bancos são gananciosos sempre. Esse segmento já tem excelentes resultados há vários anos seguidos, no entanto, demite em massa, fecha postos de trabalho, terceiriza, quarteiriza, sonega impostos, lesa clientes e o mais grave… enlouquece bancários. Comete assédio moral, faz o bancário faltar com a ética, tudo isso em nome desse resultado,  apresentado ao mercado apenas como números. Banqueiros gananciosos passam por cima do que for preciso para alcançar seus resultados, não se importando se morrem pessoas (trabalhadores) ou se prejudicam milhares de pessoas(clientes). Uma lástima… Mas isso é fato. Infelizmente”
Gabriel Motta, diretor do Sindicato e funcionário do Bradesco