BANCOS SE COMPROMETEM A MANTER QUARENTENA

33


O Comando Nacional dos Bancários cobrou, dia 30/3, e os bancos se comprometeram a manter o isolamento que já colocou mais de 230 mil bancários para trabalharem em casa, em sistema de home office. O compromisso foi assumido durante videoconferência entre o Comando dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).


A categoria bancária sabe que se inicia nesta semana um momento crítico do mês, quando aumenta a demanda pelo atendimento nas agências devido ao pagamento do benefício da Previdência, e que, muitos aposentados precisam do atendimento presencial para retirarem seus cartões, uma vez que será o primeiro pagamento que irão receber. “Bolsonaro foi irresponsável ao ir para as ruas defender o fim do isolamento social, contrariando todos os cientistas, as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e tudo que os outros países estão fazendo. O Bolsonaro faz mal à saúde pública”, afirmou a presidenta da Contraf-CUT, Juvandia Moreira.


Os bancários destacaram que, mais do que nunca, é importante que os bancos implantem um sistema eficiente de controle de aceso às agências e o atendimento presencial exclusivo para clientes agendados. É preciso ter um comunicado geral informando que serão atendidos presencialmente apenas serviços essenciais e casos de extrema necessidade que tiverem sido previamente agendados.


De acordo com o presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo, desde antes das medidas oficiais, as condições de atendimento à população têm sido pauta da entidade. “Organizamos um comitê de crise para estabelecer condições de atendimento sem propagar a doença; cobrando melhores condições de trabalho, barreiras sanitárias, critérios e medidas para que tudo seja feito da forma mais segura possível”, detalhou.


MEDIDAS JÁ IMPLEMENTADAS – A representação da categoria também cobrou respostas sobre as demais reivindicações de enfrentamento à pandemia causada pelo novo coronavírus. Durante a reunião, a Febraban informou ainda que cerca de 2.200 agências foram fechadas em todo o Brasil, como medida para evitar a propagação do vírus. Também foram fechados postos de atendimento bancários em aeroportos e hospitais e que voltará a negociar o fechamento daqueles que ainda não foram fechados por solicitação de outras categorias. A pedido do Comando, o Banco Central reduziu o horário de atendimento. Também a pedido do Comando, os bancos realizam uma campanha na mídia para orientar os clientes sobre o uso dos meios digitais; caixas eletrônicos, assim como sobre os riscos da contaminação pelo coronavírus. Os bancos disponibilizam álcool gel para os bancários que continuam trabalhando para manter as atividades essenciais do serviço financeiro e atender os casos de extrema necessidade.


Na semana passada, dois dos três maiores bancos privados do país comunicaram que não demitirão funcionários enquanto durar a pandemia. Outra reivindicação da categoria foi a suspensão da cobrança pelo cumprimento metas. Os bancos disseram que foi orientado para que os gestores ajam com razoabilidade. O Comando destacou que vai acompanhar essas questões.


Por fim, o Comando cobrou ainda que os bancos não cumpram as medidas previstas nas MP’s 927 e 928/2020, do governo federal, que autorizam as empresas a negociarem diretamente com os trabalhadores, sem a intermediação dos sindicatos.