Banqueiros dizem “não” para tudo

20

O setor que mais ganha dinheiro no País nega reposição da inflação nos salários, nega aumento real, nega melhora na PLR. Não quer nem saber de discutir melhora na segurança, condições de trabalho, horário de atendimento nem garantia no emprego.

Na rodada de negociação que aconteceu segunda-feira, dia 21/8, os representantes dos bancos disseram não para todas as reivindicações dos trabalhadores do sistema financeiro. Nem nas discussões sobre saúde e condições de trabalho houve avanço.

Outro ponto que os bancos não querem nem ouvir falar é sobre garantia de emprego.

Afirmaram que ajudaram a derrubar a adesão do Brasil à Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) tratado internacional que impede a dispensa imotivada. Essa recusa à convenção aconteceu em 1996, no governo Fernando Henrique Cardoso. Eles alegaram que ajudaram a derrubar a medida porque engessaria a liberdade que têm para demitir. “Nada se consegue arrancar dos banqueiros de graça, só com mobilização e organização haveremos de realizar uma campanha vitoriosa”, disse Ribamar Pacheco, presidente da Fetec/NE.