BB arremata Nossa Caixa por R$ 5,3 bilhões

17

Com a aquisição da Nossa Caixa, anunciada no dia 20/11, o Banco do Brasil consegue ultrapassar, pelo menos em número de agências, os bancos Itaú-Unibanco, Bradesco e Santander-Real no estado de São Paulo. Aliás, o número de agências da Nossa Caixa – 559 no total – foi um dos pontos que pesou no negócio fechado com o governo paulista. Outro motivo, além do desejo do governo de não deixar o maior banco público do Brasil atrás dos bancos privados, é crescer e ganhar mercado no Estado que, sozinho, detém um terço do Produto Interno Bruto (PIB) do País.


No fato relevante divulgado para explicar a transação, o BB anuncia que fechou com o governo de São Paulo a compra de 76, 26 milhões de ações ordinárias da instituição, equivalentes a 71,25% do capital do banco. Por essa montanha de ações, o Banco do Brasil vai pagar R$ 5,38 bilhões. Cada ação vai custar R$ 70,63, mesmo preço que será oferecido aos acionistas minoritários, garantiu o vice-presidente de Finanças da instituição, Aldo Luiz Mendes. Ele garante que é um ótimo negócio para os minoritários porque o valor que está sendo oferecido é superior ao cotado no mercado. No total, o Banco do Brasil vai gastar R$ 7,5 bilhões para ficar com a Nossa Caixa.


A concretização do negócio, no entanto, levará algum tempo. O governo de São Paulo começará a receber do BB em março de 2009, mesma data em que o banco espera poder fazer a oferta para os minoritários e o pagamento será feito em 18 parcelas mensais de R$ 299,249 milhões. Até o final do próximo mês, o BB espera que a compra tenha sido aprovada pela Assembléia Legislativa do Estado. Até março, a expectativa é que as assembléias de acionistas de cada um dos dois bancos também tenham sido favoráveis ao negócio, com o Banco Central dando a última palavra sobre a aquisição.

Fechamento – O vice-presidente do BB garantiu que os paulistas não precisam se preocupar com o fim da Nossa Caixa. “O BB será o banco do governo do estado de São Paulo”, disse. Segundo Aldo Mendes, o BB administrará a folha de salários, cuidará da arrecadação de impostos e também dos programas de fomento. Ele garantiu que o banco não tem interesse em promover demissões e que, no máximo, serão fechadas 30 agências, onde houver sobreposição. Ele também disse que os clientes ganharão com o Banco do Brasil, que é uma instituição mais eficiente.


Com a compra da Nossa Caixa, o Banco do Brasil passa os grandes bancos privados em número de agências em São Paulo. O BB fica tendo no Estado 1.324 agências, com o Itaú-Unibanco, que vem logo atrás, com 1.240 pontos de atendimento. Mas, em termos de ativos e outros indicadores, o Banco do Brasil passa a ocupar o segundo lugar (antes da aquisição ele estava em terceiro), ficando atrás apenas do Itaú-Unibanco, que só saltou para o primeiro lugar, ocupado antes pelo BB, por causa da incorporação. De acordo com fontes do mercado, a compra da Nossa Caixa pelo BB será a última grande aquisição do banco. A partir de agora, fusões, incorporações e compras serão de instituições menores, sem o impacto de um Itaú-Unibanco ou Santander-Real.