Beneficiários decidem por execução da ação das folgas

25

     


Os funcionários do BNB, beneficiários da ação das folgas, que participaram da assembleia realizada no dia 29/12, decidiram, por unanimidade, iniciar o processo de execução do processo na Justiça diante do impasse com o Banco sobre os reais valores da ação.


Durante a primeira assembleia, realizada em 5/5, os beneficiários da ação aprovaram a proposta do Banco juntamente com outra proposta de acordo do Adicional por Tempo de Serviço (ATS). Entretanto, a ação das folgas teve sua homologação suspensa pelo Sindicato devido à constatação de que a diferença devida é de dez e não de cinco folgas, conforme calculado pelo Banco. Para agilizar o desfecho do acordo, o Sindicato propôs o pagamento dos valores que já foram divulgados e o saldo creditado para utilização, mas até agora não recebeu qualquer resposta. Diante do silêncio da direção do BNB, o Sindicato decidiu realizar nova assembleia e os beneficiários decidiram pela suspensão do acordo anteriormente aprovado e execução da ação na Justiça.


“Já fizemos um acordo abrindo mão de nossos direitos já que a proposta do Banco oferecia 65% do valor. Mas diante do equívoco no cálculo, o percentual que teríamos direito cai para cerca de 30% e isso o Sindicato não pode aceitar. Entretanto, é importante enfatizar que nossa atitude de entrar com a execução da ação não encerra o canal de negociação com o Banco e estaremos dispostos a negociar uma nova proposta de acordo caso as negociações apontem para isso”, avaliou o diretor do Sindicato e coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT), Tomaz de Aquino.