BNB: Funcionários aprovam pauta específica

59

Debates sobre a pauta específica dos funcionários do Banco do Nordeste, campanha nacional, negociação permanentes, demissões imotivadas, Camed e Capef. Estes foram os principais assuntos discutidos durante o XII Congresso dos Funcionários do BNB, ocorrido durante os dias 18 e 19/8, em João Pessoa (PB).

Sob o tema “Aprofundar a Democracia, Vencer o Medo e Avançar nas Conquistas”, os funcionários debateram ainda as recentes demissões sem justa causa ocorridas na Instituição na base de Pernambuco. Na plenária final, os delegados decidiram negociar com o banco até o início de setembro e, caso não haja acordo, os bancários devem iniciar uma campanha nacional contra demissões imotivadas no BNB.

Painéis – No painel “Conjuntura Nacional e o Papel do BNB”, foram palestrantes o diretor de Desenvolvimento do BNB, Pedro Lapa, que falou sobre o plano de ação do banco com relação aos projetos sociais e de incentivo de crédito e o diretor da ADNE-JP, Julio Rafael, que fez uma explanação sobre a conjuntura nacional. O painel seguinte tratou da Campanha Nacional , com os expositores Sérgio Braga, diretor executivo da FETEC/NE e CONTRAF e o técnico do DIEESE/SP, Murilo Barella.

À tarde, foram debatidos o plano de custeio da CAMED, com o presidente da Caixa João Robério, e o plano de previdência da CAPEF, com o presidente da entidade, Francisco José Bezerra (Fran). No último painel, a superintendente de Desenvolvimento Humano do BNB, Zilana Ribeiro falou sobre a mesa permanente de negociação e o cumprimento da Convenção Coletiva da Fenaban. Zilana informou ainda que a assinatura do acordo coletivo 2005/2006 já está autorizada, devendo acontecer esta semana.

O coordenador da Comissão Nacional, Tomaz de Aquino, destacou os avanços nas negociações com o banco, mas enfatizou a necessidade do cumprimento da Convenção da Fenaban pelo BNB. “Temos que perder o complexo de inferioridade, porque o BNB é muito importante para a região e o País e nós temos que ir em frente em busca dos nossos direitos”.