BNB: Funcionários homologam Acordo e aprovam PCR por ampla maioria

62

Os funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) no Ceará aprovaram por ampla maioria, em assembléia realizada na última quinta-feira, 6/7, a proposta do Plano de Cargos e Remuneração (PCR). Na ocasião, os bancários referendaram ainda o Acordo Coletivo 2005/2006. O BNB era único banco que ainda não tinha formalizado o acordo.

“Tentamos construir o plano dos nossos sonhos nesses mais de dois anos de negociação com o banco. Reconhecemos que essa proposta não é ideal, mas é um ponto de partida para melhorias”, afirmou o coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB), Tomaz de Aquino.

Ele destacou ainda alguns avanços da proposta do PCR alcançados durante o processo de negociação com o banco: promoção de 4% a cada dois anos por mérito e a cada três anos por tempo de serviço; enquadramento até quatro níveis antes do último para permitir promoções aos funcionários mais antigos; antecipação de uma promoção de 4% para os funcionários que não tiveram qualquer promoção de 1998 para cá. Além disso, já a partir de janeiro de 2007, o PCR vai contemplar um contingente razoável de funcionários que terão a primeira promoção por merecimento.

O novo PCR também garante a manutenção do salário base assegurando à Verba de Caráter Pessoal (VCP) todas as prerrogativas salariais, pois o VCP, assim como a Gratificação Mensal, constarão na carteira profissional e no acordo coletivo de trabalho a ser firmado com cada sindicato.

Já a partir desta segunda-feira, dia 10/7, os termos de adesões individuais estarão disponíveis e a partir do dia 21/7, o primeiro lote já terá consignado os efeitos do novo plano, tais como o pagamento de diferenças retroativas a fevereiro de 2005, data da vigência do PCR.

Ao final da assembléia foi aprovada ainda uma moção de repúdio à diretoria do BNB pelas demissões de funcionários do banco na base de Recife.