BNB implanta plano de transição para funções

45

Um plano de adequação de funções. Essa foi a grande novidade da reunião de negociação entre a Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) e a Superintendência de Desenvolvimento Humano do banco. De acordo com a superintendente Eliane Brasil, o plano entrou em vigor no dia 1º/7 e a folha de pagamento de julho já virá com os novos valores.


O banco tem uma proposta de novo plano de funções, no entanto ela extrapola a previsão orçamentária e deve ser encaminhado ao Ministério da Fazenda e Dest para aprovação. Portanto, o plano não poderá ser implantado esse ano. Como compensação e mediante as constantes reivindicações da Comissão Nacional, o banco apresentou esse plano de adequações. “Isso não é um presente do banco. É conseqüência da mobilização e das cobranças das entidades representativas dos funcionários reivindicando um novo plano”, afirmou o coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino.


De acordo com o plano de negociações, as funções de analista de negócios (analista de projetos) e de técnico de campo, da Central de Apoio Operacional (CENOP) e os caixas executivos terão reajuste de 100% nas funções; assistentes jurídicos terão reajustes de 30% e as demais funções técnicas, 20%; já as funções negociais, executivas e de assessoria e apoio serão reajustadas em 10%.


O banco anunciou também a criação de nível IV para as funções de assistente jurídico, auditor e consultor interno; a criação da função de coordenador de produtos e serviços, com carga horária de 6h e a criação do piso salarial para os gerentes de agência, de unidade e superintendentes, destinado aos ocupantes das funções em nível de titularidade ou substituição.


PONTO ELETRÔNICO – A Comissão Nacional está acompanhando o processo de implantação do ponto eletrônico e vai propor ajustes ao banco.


CAPEF/CAMED – O plano CV da Capef encontra-se aguardando aprovação no DEST. A Comissão propôs ao banco que solicitasse uma reunião entre o órgão, o BNB e a representação dos funcionários para tentar agilizar o processo.


A Comissão cobrou também a redução da contribuição da Capef, que hoje é de 28%. O banco informou que, numa reunião com representantes do BNB, AABNB e SEEB/CE, foi autorizado um estudo para a redução da contribuição e o banco reafirmou o compromisso de manter os valores inalterados até a conclusão do estudo.


Quanto aos trabalhos do GT Camed, a apresentação do relatório deve ser feita até o próximo dia 31/8.