BNB paga PLR acima da Fenaban, mas mantém limite de 9% do DEST

14

Pela primeira vez desde 2004, quando iniciou a distribuição de Participação no Lucros e Resultados, o BNB paga uma PLR superior à da Fenaban. O acréscimo ocorre em relação à parcela dos 90% da remuneração total. Mais uma vez, o Banco não considera o teto de 2,2 vezes a remuneração prevista na Convenção da Fenaban, chegando, no caso dos salários mais baixos, a atingir 2,7 vezes o valor da remuneração, o que é positivo.


Apesar dessas vantagens, a PLR no BNB poderia ser melhor do que foi, face ao elevado lucro do Banco em 2009, fruto do empenho e esforço do funcionalismo. O que impede a PLR de ser maior é o teto imposto pelo DEST de 9% sobre o lucro líquido para distribuição da PLR. A luta da CNFBNB/Contraf-CUT pela derrubada desse teto continua, afirma o coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino, lembrando que, pela lei das S/A, esse percentual poderia chegar a 12,5% que significa 25% do montante de dividendos que vem sendo distribuídos pelo BNB ao seus acionistas (50% do Lucro Líquido).