BNB provisiona pouco mais de R$ 20 milhões para o adiantamento da PLR

10


Mais uma vez, a Diretoria do Banco do Nordeste trabalha com intenção de distribuir apenas 25% do seu lucro líquido a título de dividendos para os acionistas no exercício de 2017.


É o que se pode concluir do provisionamento de apenas pouco mais de R$ 20 milhões para pagamento da primeira parcela da PLR deste ano aos seus funcionários. A lei que criou a PLR determina às sociedades anônimas a distribuição de 1/4 do que essas empresas destinam aos seus acionistas, ficando nesse caso para os trabalhadores um percentual mínimo de 6,25%.


O lucro do BNB foi recorde e atingiu R$ 298 milhões no primeiro semestre de 2017. Esse resultado foi conseguido pelo esforço coletivo dos funcionários que tiveram que trabalhar pesado para realizar negócios e recuperar dívidas, permitindo a reversão de provisões de prejuízo para lucro em montante superior a R$ 2,6 bilhões.


Todo esse empenho do funcionalismo do Banco não parece ser reconhecido, pois o que está em curso na Instituição é um processo de reestruturação que ameaça os trabalhadores do BNB com a perda de direitos.


“A recuperação de 2,6 bilhões de créditos inadimplidos, representando a regularização de 100 mil operações é prova inconteste do compromisso do corpo funcional com a Instituição e os nordestinos”
Tomaz de Aquino, coordenador da Comissão Nacional dos Funcionários do BNB e diretor do SEEB/CE