Bradesco é um dos principais alvos de bandidos e continua negligenciando a segurança

7


Logo atrás do Banco do Brasil como alvo preferido dos bandidos, o Bradesco continua negligente com a segurança de funcionários e clientes. De janeiro a julho deste ano, o banco foi atacado 29 vezes. Em julho, foram quatro ataques: duas tentativas de arrombamento (uma com explosão de caixas), um assalto a mão armada e uma saidinha bancária.


“Os números mostram que, no Ceará, a criminalidade só faz aumentar e o Bradesco se destaca nas estatísticas porque facilita a ação dos bandidos ao não investir em segurança. Não tem porta de segurança e o sistema de câmeras não existe. Enquanto só se interessa em obter lucro, o Bradesco cria um ambiente atrativo para os criminosos”, afirma Telmo Nunes, diretor do Sindicato dos Bancários do Ceará e funcionário do Bradesco.


O diretor destaca que a situação de insegurança, principalmente no interior do Estado, tem tirado a tranquilidade do bancário. “O Bradesco, inclusive, não tem sequer a sensibilidade de emitir CAT [Comunicado de Acidente de Trabalho] para funcionários vítimas das ações”, completa.


A questão da insegurança bancária está diretamente ligada às falhas da Segurança Pública e os bancos precisam, de forma urgente, criar mecanismos de proteção à integridade física dos bancários e da população. “O poder público precisa investir mais em inteligência e investigação para deixar de correr atrás dos bandidos. A abordagem policial precisa se antecipar à ação criminosa”, analisa Telmo.