Cai o índice de desnutrição infantil no semi-árido do País

23

A desnutrição infantil, uma das principais causas de morte de crianças no Nordeste brasileiro, vem caindo de forma significativa na região do Semi-Árido do País. Os dados são de uma pesquisa feita pelo Governo Federal em 2005 e divulgada recentemente. O estudo “Chamada Nutricional”, revelou que 6,6% das crianças com até cinco anos de idade que vivem na região sofrem de desnutrição crônica (déficit de altura). O índice é 11 pontos percentuais menor que o registrado em 1996 em pesquisa semelhante realizada no Nordeste, quando o percentual era de 17,9%.

Para a pesquisa foram avaliadas 17 mil crianças com até cinco anos de idade de 307 municípios do Semi-Árido, composto por oito estados da região Nordeste e do norte de Minas Gerais. Um dos principais fatores atribuídos à queda da desnutrição infantil é a melhoria na alimentação dessas crianças, o que mostra a importância do programa Bolsa Família em regiões carentes do País.

A “Chamada Nutricional” indica ainda os efeitos dos programas de transferência de renda do Governo, como o Bolsa Família. Se não fossem atendidas, as crianças de seis a 11 meses de idades beneficiárias do programa teriam 62,1% mais de chances de apresentar desnutrição crônica.

Investimentos – Os investimentos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no Semi-Árido em 2005 totalizaram R$ 3,9 bilhões. Os recursos são repassados para uma série de programas sociais, como o Bolsa Família e outras ações voltadas especificamente para a região.