Caixa de Assistência em debate com funcionários

70

A proposta da direção do BB para solucionar a crise financeira da Cassi foi o principal tema debatido na reunião dos representantes do Conselho de Usuários e diretores do Sindicato, no dia 20/6, no BB da Av. do Imperador. Também foi discutida a paralisação da Cooperativa dos Anestesistas (Coopanest) com a Cassi, que já dura quase três anos.

No pacote apresentado pela direção, o banco se compromete a investir r$ 30 milhões por ano, durante quatro anos, no programa Estratégia da Família. A empresa assumirá ainda o déficit do grupo de funcionários indiretos. No entanto, o banco propõe a co-participação dos associados em 20% nos exames médicos de rotina e também o aumento para 3,75% nas contribuições do banco e dos funcionários admitidos após 1998, que até então contribuíam com 3%.

A proposta atende algumas reivindicações históricas dos funcionários, como fortalecimento da estratégia Saúde da Família e o custeio dos dependentes indiretos. Mas é insatisfatória para solucionar o desequilíbrio da caixa de assistência sem onerar os participantes. A busca de uma solução ampla para os problemas da Cassi é reivindicação antiga dos funcionários do BB, que há vários anos integra a pauta da Campanha Salarial.

O Sindicato continuará debatendo o tema com o funcionalismo apoiando iniciativas que apontem para soluções definitivas dos problemas, com base sempre no princípio da solidariedade entre os funcionários participantes da Cassi.