Caixa de Previdência do BB aumenta o teto do Empréstimo Simples

6


A Diretoria Executiva da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ) aprovou proposta do diretor eleito de Seguridade, Marcel Barros, que garante maior prazo para a grande maioria dos associados e um novo teto de R$ 145 mil para o Empréstimo Simples. A iniciativa, que beneficia mais de 83% dos participantes, foi apresentada dentro do prazo proposto e antecipando uma decisão que só seria tomada em novembro de 2014.


As alterações, que entram em vigor no dia 22 de julho, são em caráter de excepcionalidade e visam estabelecer condições necessárias para que os associados possam se preparar adequadamente para o retorno da cobrança das prestações do ES. Quem já for mutuário poderá renovar seu empréstimo sem observar o prazo de carência de seis meses.


O aumento do teto de R$ 130 mil para R$ 145 mil e o aumento dos prazos em 12 meses para os associados que têm entre 51 e 86 anos vão permitir que mais de 83% dos associados que possuem Empréstimo Simples possam normalizar o pagamento de suas prestações preservando o equilíbrio dos seus contratos.


A proposta não altera os percentuais do Fundo de Quitação por Morte (FQM) e mantém a suspensão da cobrança do Fundo de Liquidez. Com a volta das consignações, o FQM deixará de ser impactado negativamente como ocorreu nos últimos seis meses.


As novas condições do Empréstimo Simples aprovadas são as seguintes: limite de empréstimo: passa de R$ 130 mil para R$ 145 mil. Os prazos máximos – até 50 anos: mantém 120 meses; de 51 a 62 anos: passa de 108 para 120 meses; de 63 a 74 anos: passa de 96 para 108 meses; de 75 a 86 anos: passa de 84 para 96 meses; de 87 a 98 anos: mantém 72 meses; a partir de 99 anos: mantém 60 meses.  Mais informações no site www.previ.com.br.


“A proposta do diretor eleito pensa nos mais de 30 mil mutuários que já pediram a suspensão do pagamento das prestações, mas sobretudo pensa também no conjunto dos associados, inclusive aqueles que não têm empréstimo simples”
Plauto Macedo, diretor do Sindicato e aposentado do BB