Câncer mata mais de sete milhões por ano

25

O Dia Mundial contra o Câncer é um evento anual organizado pela União Internacional Contra o Câncer (UICC) no dia 4 de fevereiro. Este ano, a UICC e organizações associadas em 86 países aproveitaram a data para lançar a Campanha Mundial contra o Câncer, intitulada “Crianças de Hoje, Mundo de Amanhã” e centrada em medidas preventivas da doença. O câncer é uma das principais causas de morte em todo o planeta. Mais de 7 milhões de pessoas morrem de câncer e cerca de 11 milhões de casos são diagnosticados a cada ano.

A campanha se baseia nos dados da própria UICC que afirma que 43% dos casos de câncer podem ser evitados com estilos de vida saudáveis desde a infância. Nesse sentido, a campanha enfatiza a prevenção através da difusão de conhecimento sobre estilos de vida, tendo como alvo os pais, profissionais de saúde e autoridades competentes da área. A idéia principal é fomentar hábitos saudáveis durante a infância para ajudar a evitar o câncer posteriormente.

A Campanha Mundial contra o Câncer apresenta quatro mensagens principais: proporcionar às crianças um ambiente sem fumaça de cigarro; ter um estilo de vida ativo, manter uma dieta saudável e evitar a obesidade; tomar conhecimento de vacinas contra casos de câncer relacionados a vírus, como tumores hepáticos e câncer do colo do útero e evitar a exposição excessiva ao sol.

“O câncer atinge todos os segmentos da sociedade em todos os países. A boa notícia é que o câncer pode ser evitado na maioria dos casos”, diz Isabel Mortara, diretora executiva da UICC. “Os primeiros passos rumo à prevenção são a educação e a ação. Eles precisam começar pelas crianças”.

A UICC é um recurso global para ação com mais de 270 organizações afiliadas na África, América, Ásia-Pacífico, Europa e Oriente Médio. A OMS apóia esta iniciativa, que trata o câncer como um problema massivo de saúde mundial. Os tipos de câncer que mais contribuem para aumentar os índices de mortalidade são os cânceres de pulmão, estômago, fígado, colo do útero e mama respectivamente. Em 2006, o câncer matou mais pessoas que a AIDS, a malária e a tuberculose juntas.