Caos na agência de Caucaia

19


  


Eram 9h da manhã quando os diretores do Sindicato, Carlos Rogério Montenegro e Lea Albuquerque, chegaram à Agência Caucaia da Caixa Econômica Federal e já se depararam com a unidade lotada, tanto no auto-atendimento quanto no interior da unidade, constatando que as denúncias recebidas pela entidade não eram exageradas.


Do lado de dentro ficou estampada a desorganização e a falta de funcionários. “Atendo de 9h às 15h, sem intervalo de almoço e sem as pausas de 10 minutos previstas em Lei”, denunciou um dos empregados da agência. Segundo os bancários são sete empregados na bateria de caixas, mas por imposição da gerência, um é sempre obrigado a compensar horas-extras.


Diariamente, são inúmeros casos de clientes que voltam para casa sem receber atendimento. A agência Caucaia atende aos pagamentos da Prefeitura, benefícios sociais, Seguro-Safra e clientes de várias cidades do interior, o que aumenta a sobrecarga de trabalho dos empregados. “Muitas pessoas chegam e não há mais senha para entrar, porque não há empregados suficientes para atender a demanda. Isso não é pontual, todo dia acontece, é um desrespeito”, relatou outro bancário.


“A agência Caucaia está com um problema sério de excesso de demanda e falta de empregados. Muita gente humilde acaba voltando sem atendimento, pessoas que vem do interior, de lugares distantes, e que não são atendidas porque não há como. Está um um verdadeiro caos. Todo dia é assim”, reforça o diretor do Sindicato, Mauro Barbosa, que trabalha na unidade. Segundo ele a agência precisa de novos funcionários urgentemente.


O cliente Gilvan Duarte ratifica a denúncia dos empregados. Morador do distrito de Capuan (Caucaia), ele relatou: “para receber atendimento aqui é uma dificuldade. Cheguei hoje às 4h da madrugada para poder pegar uma senha e praticamente vou ter que passar o dia aqui. É sempre assim, até para entrar na agência é difícil, tem que dormir na fila”.


Indignado, um dos bancários da agência falou aos clientes sobre a visita do Sindicato. “Nós empregados estamos denunciando essa situação precária ao Sindicato dos Bancários para que possamos prestar um melhor atendimento para vocês, cobrando mais empregados para que vocês não tenham que voltar duas ou três vezes para serem atendidos. Nós queremos atender vocês de forma decente, digna, mas a Caixa não está nos dando essas condições”, conclui.


“Nós vamos cobrar da Caixa melhores condições de trabalho e empregados para suprir a demanda dessa unidade, que é muito grande. Os empregados não podem ficar sobrecarregados desse jeito e nem a população pode ficar à mercê dessa deficiência no atendimento”, afirma Carlos Rogério que avisa: “caso não sejam tomadas providências urgentes, o Sindicato vai todas as medidas para solucionar os problemas dessa unidade”.