Casos na capital diminuem no primeiro bimestre de 2009

34

A dengue não causou muitos danos em Fortaleza este ano. De acordo com o boletim semanal divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no dia 18/2, foram confirmados 188 casos de dengue na capital. O número representa uma queda brusca em relação ao mesmo período de 2008, que durante o mês de janeiro já contabilizava 864 casos. Até agora, não houve registro de dengue hemorrágica.


Segundo a gerente da Célula de Vigilância Ambiental da SMS, Patrícia Facó, o índice atual de infestação da doença em Fortaleza é de 0,68% (o Ministério da Saúde preconiza índice abaixo de 1%). Para Patrícia, o avanço é fruto do trabalho empreendido pela Prefeitura. “Neste ano, a Secretaria de Saúde do Município reforçou as atividades de combate à dengue por meio do aumento de informações à população, da verificação de depósitos que possam acumular água e da vedação de caixas d’água”, afirmou.


De acordo com a SMS, no entanto, alguns bairros da cidade possuem índices de infestação acima do permitido, como Cristo Redentor, Dionísio Torres, João XXIII, Messejana e Parque Presidente Vargas, onde o percentual é de 1,57. Para essas localidades, a Prefeitura realiza um esforço conjunto com o Governo do Estado para diminuir a população de mosquitos Aedes aegypti, transmissor da doença, através da ação de carros fumacê e agentes sanitaristas.


Os terrenos baldios são os lugares que mais preocupam a Prefeitura no processo de diminuição do índice de infestação, pois são nesses locais que a população de Fortaleza costuma jogar lixo indiscriminadamente. Além disso, para que os agentes efetuem a limpeza nos terrenos é difícil encontrar os seus proprietários. A gerente da Célula de Vigilância Ambiental da SMS declara que é necessário o engajamento e um maior cuidado do fortalezense com o meio-ambiente. “Nosso objetivo é mostrar a importância da participação da população. É necessário que haja uma conscientização”, ressaltou.


Para aumentar a prevenção da dengue em Fortaleza, a Prefeitura também conta com a ajuda de algumas instituições, como escolas, universidades e sindicatos. Desde o ano passado, o Sindicato dos Bancários do Ceará firmou parceria com Secretaria de Saúde para lançar uma Campanha de Mobilização de Combate à Dengue. O objetivo é congregar o maior número possível de integrantes do movimento sindical para atuarem como multiplicadores de informações de combate ao mosquito.