Categoria define pauta de reivindicações e estratégias de luta

11


Com o tema “Rumo à organização do ramo”, a 1ª Conferência Nacional dos Financiários, realizada entre os dias 12 e 14 de maio, reuniu na sede da Contraf-CUT trabalhadores do ramo, com o objetivo de definir as reivindicações e estratégias de luta do setor. Durante três dias, os financiários deliberaram as prioridades da minuta da categoria e o calendário da campanha salarial, com data-base em 1º de julho. Os diretores do Sindicato dos Bancários do Ceará Antonio Marcos e Leandro Medeiros, ambos da BV Financeira, representaram os financiários do Estado no Encontro.


No encerramento do evento, a economista do Dieese, Katia Uehara, apresentou o Perfil dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, uma pesquisa realizada pelo Dieese a partir da RAIS de 2014 – Relação Anual de Informações Sociais. De acordo com a análise há 865.950 trabalhadores, dos quais não estão só em bancos, mas em cooperativas, empresas de seguros, previdência e financeiras. Ainda, segundo os dados, o número de financiários é de 7.772, mas muito trabalhadores estão registrados em outros ramos e a Contraf-CUT estima um número superior, que pode chegar a 500 mil em todo o Brasil.


Após a exposição da pesquisa, três grupos de trabalho apresentaram os principais pontos analisados na redação da minuta da categoria dividida entre os temas: 1) emprego e remuneração; 2) saúde, condições de trabalho e igualdade de oportunidades; 3) sistema financeiro e organização do ramo.


Para Jair Alves dos Santos, coordenador da Comissão dos Financiários, a primeira parte da missão foi concluída com êxito devido a realização desta primeira Conferência. “Debatemos os principais pontos da pauta de reivindicações dos financiários. Fizemos o ‘raio x’ do ramo, discutindo ponto a ponto, com a expectativa de realizarmos uma forte campanha”, disse Jair.


Os sindicatos terão  prazo até o dia 27 de maio para efetuarem as assembleias em suas bases. A previsão da entrega da minuta à Fenacrefi será na primeira semana de junho.


“Nós exercemos um papel muito importante nestes três dias. Elencamos os pontos prioritários que serão levados em assembleias para que os financiários sejam melhor representados na mesa de negociação”
Antonio Marcos, diretor do Sindicato e funcionário da BV Financeira


“Conseguimos discutir uma minuta que realmente atenda os anseios dos financiários. Foram citados pontos importantes,  como a inclusão do piso de analista na minuta e o parcelamento de férias, entre outros”
Leandro Medeiros, diretor do Sindicato e funcionário da BV Financeir
a