Ceará é o 4º em mortes durante assaltos a banco

7


Pesquisa da Contraf-CUT divulgada no dia 29/1 mostra que seis pessoas foram assassinadas em assaltos envolvendo bancos no Ceará em 2013. Esse número representa aumento de 500%, em relação a 2011, quando foi morta uma pessoa, e de 20%, em relação a 2012, quando cinco pessoas foram assassinadas no Estado. O levantamento utilizou notícias da imprensa e apoio técnico do Dieese.


Destas mortes, duas aconteceram no Interior (33%) e quatro (67%) na Capital. Cinquenta por cento dos casos de morte ocorreram durante saidinhas bancárias; as demais em assalto a caixa eletrônico (1); assalto a agência (1) e assalto a correspondente bancário (1). A maioria das vítimas foios clientes (50%/3), seguidos de vigilante (17%/1), policial (17%/1) e outros (16%/1).


Dados nacionais – 65 mortes foram registradas em assaltos envolvendo bancos em 2013, uma média de 5,4 vítimas por mês. O aumento em relação a 2012 foi de 14,04%, quando foram registrados 57 assassinatos, representando crescimento de 32,7% nos últimos dois anos.  Os estados com o maior número de casos foram: São Paulo (17), Rio de Janeiro (11), Bahia (7), Ceará (6), Minas Gerais (6) e Rio Grande do Sul (5). O estado de Minas Gerais foi o estado com o maior crescimento de mortes em 2013, com 500% em relação ao ano anterior.


As “saidinhas bancárias” foram as principais ocorrências, com 32 mortes, seguido de assalto a correspondentes bancários (22%), que tirou a vida de 14 pessoas, e assalto a agências (12%), que matou 8 pessoas. Outras mortes foram registradas em assaltos a caixas eletrônicos (6), abastecimento de caixas eletrônicos (3) e assaltos a postos de atendimento (2).



Janeiro: bandidos seguem explodindo agências no Interior


Das seis ações registradas pelo levantamento do Sindicato dos Bancários do Ceará em janeiro, quatro foram arrombamentos, sendo que em três agências houve uso de explosivos. Em outro caso, bandidos invadiram uma agência do BB em Novo Oriente e, na fuga, fizeram reféns. Houve ainda uma saidinha bancária. Todas as ocorrências foram no interior do Estado.


Mesmo com essas seis ações, o número ainda é menor do que o registrado em janeiro do ano passado, quando foram contabilizadas nove ocorrências. O Sindicato dos Bancários atribui essa redução ao Estatuto Municipal de Segurança Bancária, que finalmente começa a sair do papel em Fortaleza. Além disso, ao percorrer as Câmaras Municipais das principais cidades do Interior, o Sindicato tem encontrado apoio para aprovar ou abrir a tramitação de leis semelhantes nesses municípios.


Cinco ataques ao Bradesco – O alvo principal dos bandidos no mês de janeiro foi o Bradesco, que registrou cinco das seis ocorrências. A outra foi ao Banco do Brasil, que em 2013 foi o principal alvo dos assaltantes, com 66 ataques. O segundo alvo preferido das quadrilhas ano passado foi o Bradesco, com 48 ataques.


Para acompanhar o levantamento do Sindicato sobre ataques a bancos, acesse: http://migre.me/hFiRT


===========


“Para nós é fundamental o cumprimento do Estatuto de Segurança Bancária, pois sua aplicação, visivelmente, reduziu as ocorrências em Fortaleza. Além disso, cobramos atenção da Segurança Pública com o Interior e os bancos também tem de assumir a sua responsabilidade. A vida das pessoas deve estar sempre em primeiro lugar”
Gustavo Tabatinga, secretário jurídico do Sindicato dos Bancários do Ceará