Centrais intensificam pressão no Aeroporto de Fortaleza

5


Na madrugada da terça-feira, dia 9/7, lideranças sindicais ligadas às seis Centrais Sindicais – CTB, CUT, CSP Conlutas, Força Sindical, Nova Central e UGT – fortaleceram a mobilização contra o projeto de lei (PL) 4330 no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. Com palavras de ordem, bandeiras, faixas e cartazes, os sindicalistas lotaram o embarque do Aeroporto, para intensificar a pressão sobre os parlamentares, sobretudo os deputados da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara, onde tramita o PL. Se aprovado, o Projeto de Lei libera por completo a terceirização, precariza o emprego e os direitos dos trabalhadores no Brasil.


No mesmo dia, às 9h30, em Brasília foi realizada nova rodada da mesa quadripartite, entre trabalhadores, empresários, governo e parlamentares, para definir os encaminhamentos para a regulamentação da terceirização.  A luta das centrais surtiu resultado e a apreciação do PL foi adiada para o dia 13/8.


PRESSÃO NO AEROPORTO – A movimentação das Centrais Sindicais no Aeroporto de Fortaleza começou cedo, às 4 horas, quando delegações de várias categorias de trabalhadores lotaram as dependências do setor de embarque. O espírito de todos era um só: fazer pressão para que os deputados cearenses defendam a derrubada do PL 4330, bem como a pauta dos trabalhadores no Congresso Nacional.


Uma das maiores delegações, a do Sindicato dos Bancários do Ceará, marcou presença com seus diretores e puxou o Hino Nacional Brasileiro cantado com muita emoção por todos os manifestantes presentes, sendo muito aplaudido por sindicalistas e passageiros no embarque. Os sindicalistas soltaram a voz com palavras de ordem e refrões na tentativa de convencer os parlamentares de que esse Projeto de Lei 4330, além de escancarar a terceirização, é uma reforma trabalhista disfarçada, visando reduzir salários e conquistas dos trabalhadores e enfraquecer a organização sindical.


Passaram pelo embarque do Aeroporto Pinto Martins naquela madrugada, os deputados federais Antonio Balmann (PSB), Gorete Pereira (PR), Edson Silva (PSB) todos membros da CCJC da Câmara Federal, bem como os deputados federais Artur Bruno e Eudes Xavier (ambos do PT).


“O Brasil é a sexta maior economia e um dos 12 países com a pior distribuição de renda do mundo. A aprovação do PL 4330 vai aumentar ainda mais a concentração de renda”, denuncia Carlos Eduardo Bezerra, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará.


“A nossa mobilização é muito importante, porque pode ser votado hoje esse PL 4330, nocivo a toda classe trabalhadora. Nessa manifestação, todas as Centrais estão unidas contra esse Projeto e isso é um fato histórico e mobilização para o Dia Nacional de Luta, 11 de julho”, enfatizou o presidente estadual da CTB, Luciano Simplício.


A presidente da CUT Ceará, Joana D’arc Barbosa denuncia : “esse projeto nocivo está na contramão do desenvolvimento do País. A terceirização existe, é muita avançada, mas queremos resguardar os direitos dos trabalhadores. Direitos iguais para todos”.