CHAPA 1 É ELEITA COM 95% DOS VOTOS. UNIDADE PARA RESISTIR

17


Carlos Eduardo, presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará


Nos dias 2, 3 e 4/7, os bancários do Ceará participaram da votação que escolheu o novo sistema diretivo do Sindicato dos Bancários do Ceará. A participação da categoria foi, inclusive, o ponto alto desse processo democrático, registrando um índice recorde de votantes, mesmo com apenas uma chapa concorrendo ao pleito.


Um total de 4.352 bancários votaram e superaram o quórum bruto de 3.825 votos, mostrando que a categoria compreende a conjuntura e o chamado do Sindicato nesse momento. A aceitação da Chapa 1 também é um ponto de destaque, pois do total de votantes, 4.137 (95,06%) demonstraram confiança na nossa proposta.


Queremos enfatizar ainda que, mesmo com apenas uma chapa concorrendo ao pleito, procuramos seguir todas as exigências do nosso Estatuto, elegendo a Comissão Eleitoral e mantendo toda a estrutura necessária para que a eleição transcorresse obedecendo todas as regras. Foram 36 urnas, sendo 19 na capital e 17 no Interior, percorrendo todas as unidades bancárias e ainda foram disponibilizadas urnas fixas em diversos pontos da capital, enfatizando toda a lisura desse processo.


Por outro lado, queremos agradecer a todos aqueles que acreditaram no processo de construção da nossa unidade. Foram três eleições com disputa de ideias, em 2009, 2012 e 2015, mas nunca como inimigos, sempre priorizando o debate diverso de pensamentos. Entretanto, esse ano superamos nossas diferenças, compreendemos as adversidades desse momento e construímos a unidade. Esse amadurecimento tem um porquê, que é mostrar que a categoria bancária está preparada para enfrentar as adversidades que aí estão: lutar em defesa dos nossos direitos, da nossa democracia, fazer a resistência aos ataques que estamos sofrendo, unidos para nos fortalecermos para enfrentar todas ameaças que o governo Bolsonaro vem direcionando à classe trabalhadora e ao movimento sindical.


Passamos recentemente por um golpe no país que, desde então, vem atingindo a classe trabalhadora, com a reforma trabalhista, a lei da terceirização, a revelação de conchavos políticos e jurídicos para limar adversários e por tudo isso, procuramos construir essa unidade histórica em nosso Estado. Para que juntos possamos lutar em defesa dos bancos públicos e de todo o patrimônio da sociedade brasileira, para fazermos a resistência, porque o momento é realmente de união, de “ninguém soltar a mão de ninguém”, na defesa da soberania nacional, dos direitos dos trabalhadores e essa unidade tem de ser fortalecida no nosso dia-a-dia.


Gostaríamos, por fim, de agradecer a confiança depositada na Chapa 1 – Unidade Pra Lutar, para conduzir nossas lutas no próximo período. A nossa responsabilidade é com a classe trabalhadora, defendendo nossa categoria e as lutas de todos os trabalhadores.


Nós não fizemos a unidade para ser apenas uma chapa única, mas para lutarmos juntos, caminharmos juntos, irmos às ruas juntos, para defender os trabalhadores, para defender os bancários, para confrontar os ataques que a classe trabalhadora vem sofrendo e para, acima de tudo, resistir. Estamos construindo essa unidade para fortalecer nossa maior arma: a resistência. Seguiremos juntos, agora mais do que nunca!