COE APRESENTA PROPOSTA DE RENOVAÇÃO DO PCR

11


A Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú apresentou ao banco na quinta-feira (8/11) uma proposta de renovação do Programa Complementar de Resultados (PCR), específico do banco.


A proposta é que o banco distribua 2% de seu lucro líquido aos funcionários referente ao PCR, com vigência de dois anos (2019/2020). O montante é distribuído linearmente entre os funcionários do banco. O último valor recebido foi de R$ 2.662,66 por funcionário.


A proposta prevê também o reajuste do valor a ser pago pelo programa. Os representantes dos trabalhadores querem que seja feita a correção pela inflação medida pelo INPC/IBGE mais uma porcentagem da rentabilidade do banco no ano. O assunto volta a ser debatido na próxima reunião de negociações entre a COE e o banco, no dia 29/11, às 10h, na sede da Contraf-CUT, em São Paulo.


PAUTA DE NEGOCIAÇÕES – No último Encontro Nacional dos Bancários do Itaú, ocorrido nos dias 7 e 8/6, ficou definido que a COE deveria pautar com a direção do banco a renovação do PCR. Além do PCR, os trabalhadores também entregaram ao banco uma proposta de discussão da remuneração total dos empregados, incluindo salários, vales alimentação e refeição, PLR e todos os programas próprios do banco. Isso trará para a mesa de negociações a criação de um Plano de Cargos e Salários (PCS) para todos os empregados do banco.


Outros pontos que devem fazer parte das discussões em futuras reuniões entre o banco e seus funcionários são o Score de Qualidade de Vendas (SQV) e a cláusula 65 da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, que trata sobre o adiantamento emergencial de salários nos períodos especiais de afastamento por doença. Estes dois pontos de pauta também foram definidos durante o último Encontro Nacional dos Bancários do Itaú.


“A proposta da COE Itaú de estabelecer a porcentagem de 2% do lucro líquido do banco justifica-se porque, ano a ano, o banco tem rentabilidade e lucro crescente. Essa é uma forma de valorizar o esforço dos funcionários, que contribuem para os bons resultados do banco”
Ribamar Pacheco, diretor do Sindicato e representante da Fetrafi/NE na COE Itaú