Com assinatura do ACT, funcionários põem fim ao banco de horas

19


Desde o último dia 13/10, quando foi assinado o Acordo Aditivo de Trabalho dos funcionários do Banco do Brasil, quem trabalha além da jornada tem de receber horas extras. Esse foi um dos avanços específicos conquistados pelos funcionários do Banco do Brasil após os sete dias de greve da categoria.


Pelo acordo assinado entre trabalhadores e o banco haverá o pagamento em dinheiro de todas as horas extras.


Também fruto da mobilização foi prorrogado até dezembro deste ano o pagamento de 20 horas extras mensais a quem migrou para as funções de seis horas. Entretanto, a representação sindical dos funcionários reivindica que esse pagamento seja feito até o final de 2015. O banco ficou de avaliar no final deste ano.


Outro avanço para melhorar as condições de trabalho é a ampliação do quadro de funcionários em mais dois mil trabalhadores. “Vamos continuar nos empenhando até que a empresa tenha funcionários em número suficiente para dar conta da demanda e prestar serviço de qualidade à população, que é o verdadeiro papel do banco público. Vamos pressionar pela convocação de mais concursados para sanar o problema de superlotação nas agências”, avalia Léa Albuquerque, diretora do Sindicato e funcionária do BB.


“Até então, os funcionários em agências com mais de vinte funcionários eram obrigados a compensar metade dessas horas. Com essa medida também teremos condições de saber quais unidades estão mais sobrecarregadas e cobrar medidas da empresa para melhorar as condições de trabalho”

Léa Albuquerque, diretora do Sindicato e funcionária do BB