Com lucro alto, BNB tem tudo para atender funcionalismo

37

Com lucro recorde de R$ 205,1 milhões no primeiro semestre deste ano, o BNB tem todas as condições para atender as reivindicações de seus funcionários apresentadas à direção do Banco na sexta-feira, 22/8, no Passaré, através da entrega das pautas geral e específica dos trabalhadores ao diretor administrativo do BNB, Oswaldo Serrano. Na ocasião, o BNB assumiu compromisso de cumprir o acordo geral com a Fenaban.

Após esse momento, a mesa de negociação permanente do banco reuniu-se para tratar alguns pontos que ficaram pendentes nas rodadas anteriores. A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) cobrou à direção do BNB um relatório dos principais problemas do ponto eletrônico. A CNFBNB/Contraf-CUT quer diagnosticar os focos dos problemas e exigir do banco uma solução.


Quanto à ação de equiparação das funções, a Superintendência de Desenvolvimento Humano do banco alegou ter documentos pendentes, e está solicitando ao Banco do Brasil uma documentação adicional relativa a parcelas remuneratórias. Após o recebimento dessa documentação, o banco vai solicitar um prazo à Justiça para apresentar os resultados.


Outro ponto abordado foi a redução das taxas do CDC. Segundo a representante do banco, a área financeira ficou de apresentar uma proposta de redução até a próxima semana. O levantamento vai ser baseado no endividamento global interno dos funcionários e deve ser apresentado na próxima rodada de negociação, que ficou agendada para o dia 5/9 e tratará de plano de funções, reestruturação, GT Camed e pauta específica.

Para o coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT, Tomaz de Aquino, esse já foi um passo importante nas negociações. “Esperamos que o banco reconheça pecuniariamente os funcionários. Acreditamos que com o desempenho financeiro do banco, no primeiro semestre, é possível avançar nas conquistas para os trabalhadores do BNB”, enfatizou.