Comando define últimos preparativos para a 13ª Conferência

37

Em reunião ocorrida na sexta-feira, dia 22/7, o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, definiu os últimos preparativos para a realização da 13ª Conferência Nacional dos Bancários, que ocorre nos dias 29, 30 e 31/7, em São Paulo. O evento terá painéis com exposições e debates, mesa de abertura, análise de conjuntura, trabalhos em grupos e plenária final.


Também foram divulgados os resultados parciais da consulta feita pelos sindicatos junto aos bancários em todo País, com 21.329 questionários respondidos, sobre as prioridades para a minuta de reivindicações da Campanha Nacional dos Bancários. Entretanto, vários sindicatos ainda não remeteram os seus números para a Contraf-CUT. “Vamos aguardar até o início da próxima semana para receber os últimos dados e os resultados serão anunciados para todos no primeiro dia da 13ª Conferência”, revela o secretário-geral da Contraf-CUT, Marcel Barros.


A 13ª Conferência deverá contar com 695 participantes, sendo 635 delegados e 60 observadores. “Trata-se do maior fórum de deliberação da categoria no Brasil e coroa o processo coletivo e democrático de definição das estratégias e da pauta de reivindicações da Campanha Nacional, que envolveu milhares de bancários em assembleias, encontros e conferências”, destaca o presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional, Carlos Cordeiro.


Os quatro grandes temas da Conferência são: emprego e remuneração; segurança bancária; saúde do trabalhador e condições de trabalho; e sistema financeiro nacional.

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE CORRESPONDENTES NA CÂMARA – O Comando Nacional discutiu também a organização de caravanas de dirigentes sindicais em todo País, a fim de participar da audiência pública, a ser realizada no dia 16/8, às 14h30, na Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados, em Brasília. A reunião irá discutir o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) nº 214/2011, do deputado federal Ricardo Berzoini (PT/SP), que suspende as recentes resoluções do Banco Central que ampliam as funções dos correspondentes bancários. O relator do projeto é o deputado Rui Costa (PT/BA).


“Chamamos as federações e sindicatos para marcharmos unidos para Brasília, a fim de mostrar aos parlamentares e à sociedade brasileira que a ampliação dos correspondentes não traz inclusão bancária, como alegam os bancos, mas sim mais terceirização, insegurança, precarização do trabalho e exclusão social”, aponta Carlos Cordeiro.