Comando entrega pauta de reivindicações para Fenaban no próximo dia 12/8

38

O Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, entrega no próximo dia 12/8 a pauta de reivindicações da Campanha Nacional 2011 para a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), em São Paulo. A minuta foi aprovada durante a 13ª Conferência Nacional, ocorrida no dias 29, 30 e 31/7, com a participação de delegados eleitos em todo País.


A categoria quer reajuste salarial de 12,8% (composto por aumento real de 5% mais reposição da inflação projetada em 7,5%), PLR de três salários mais R$ 4.500,00, piso do Dieese

(R$ 2.297,51 em junho), aumentos nos vales refeição e alimentação e auxílio creche/babá para R$ 545,00 cada, contratação da remuneração total e previdência complementar para todos.


Os bancários reivindicam emprego decente, com plano de cargos e salários para todos, fim das metas abusivas, combate ao assédio moral, segurança contra assaltos, garantia contra dispensas imotivadas, mais contratações, fim da rotatividade, reversão das terceirizações, inclusão bancária, igualdade de oportunidades e aposentadoria digna.

Assembleia: Na próxima terça-feira, dia 9/8, será realizada a assembleia para ratificação da pauta dos bancários no Ceará. A assembleia acontece na sede do Sindicato (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro), às 18h30 em primeira convocação e/ou às 19h em segunda convocação.

CONFIRA OS PRINCIPAIS ITENS DA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES:

Reajuste Salarial

12,8% (5% de aumento real mais a inflação projetada de 7,5%)

PLR
Três salários mais R$ 4.500,00

Piso
Salário mínimo do Dieese (R$ 2.297,51 em junho)


Vales Alimentação e Refeição e auxílio-creche/babá

Salário Mínimo Nacional (R$ 545,00)

PCCS
Para todos os bancários

Auxílio-educação

Pagamento para graduação e pós

Emprego

Ampliação das contratações; Combate às terceirizações e à rotatividade; Garantia contra dispensas imotivadas (Convenção 158 da OIT); Inclusão bancária para todos os brasileiros

Outras prioridades
Cumprimento da jornada de 6 horas; Fim das metas abusivas; Combate ao assédio moral e à violência organizacional; Segurança contra assaltos e adicional de 30% de risco de morte; Previdência complementar para todos os trabalhadores; Contratação da remuneração total; Igualdade de oportunidades