Comissão Nacional retoma mesa permanente com o BNB

17

A Comissão Nacional dos Funcionários do BNB (CNFBNB/Contraf-CUT) retomou as negociações específicas com o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) na quinta-feira, dia 1º/7. Antes da negociação, uma grande manifestação foi realizada no Passaré, com a presença dos funcionários da ativa e aposentados do Banco (veja matéria abaixo).


Um dos destaques na reunião foi a suspensão do empréstimo de férias e do CDC por três meses. O empréstimo de férias já será suspenso na folha de julho, enquanto o CDC terá a suspensão em agosto. A Comissão Nacional reivindicou a suspensão devido ao endividamento dos funcionários, levando em conta também o aumento sofrido nas contribuições da Camed.


Os representantes da Comissão aproveitaram a presença do novo diretor Administrativo e de Tecnologia da Informação, Stélio Lira Gama, para cobrar a solução de algumas pendências do funcionalismo, tais ajustes das funções e reestruturação da Central de Retaguarda Operacional (CRO) e a resolução de passivos trabalhistas em vários estados. Stélio afirmou que vai se por a par dos detalhes de cada demanda, mas antecipou que a questão da CRO está em processo de finalização. Ele se comprometeu também, diante da CNFBNB/Contraf-CUT, a manter uma gestão transparente e com disponibilidade ao diálogo com os trabalhadores.


A CNFBNB/Contraf-CUT reivindicaram ainda que o Banco repense a inclusão dos 82 funcionários que ficaram de fora do acordo da licença-prêmio. “E quanto à extensão do benefício, o departamento jurídico do Sindicato do Ceará já está finalizando os dados para ajuizar a ação, mas isso não inviabiliza que possamos dialogar com o Banco e fecharmos um acordo também nesse sentido”, informou Tomaz de Aquino, coordenador da CNFBNB/Contraf-CUT.

REVISÃO DO PCR – Cobrado pela Comissão Nacional, o Banco informou que a revisão do PCR está pronta e já tem o aval do departamento jurídico do Banco, que após estudos finais enviará a proposta à Direção do Banco e, posteriormente, ao DEST. O interstício deve ficar em 3,5%, passando dos atuais 18 para 22 níveis promoção a cada ano por merecimento e a cada dois anos por tempo de serviço.

CONCURSO – A CNFBNB/Contraf-CUT cobrou ainda a convocação dos concursados, embora o concurso tenha sido de cadastro de reserva. O Banco afirmou que espera a autorização do DEST para a liberação de novas vagas, mas avalia que o concurso deve ter seu prazo prorrogado de dois para quatro anos, aumentando as chances de convocação.