Conciliações sobre 7ª e 8ª horas chegam a R$ 4,74 milhões

10


O Sindicato dos Bancários do Ceará já conquistou o retorno de R$ 4.748.821,70 aos bolsos dos empregados da Caixa, através da Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) referentes à 7ª e 8ª horas. Até o último dia 5/10 foram realizadas 144 sessões de negociação, entre representantes da Caixa e empregados. Desse total, aconteceram 139 conciliações e apenas cinco frustrações, ou seja, os bancários não aceitaram a proposta do banco.


No Ceará já existem ao todo 174 pedidos de adesão à CCV da Caixa, são bancários que assinaram o termo de reivindicação. Existem ainda duas conciliações agendadas e uma em análise. Apenas 27 pedidos foram indeferidos para os quais a Cipes/RJ apresentou as seguintes justificativas: 22 bancários já haviam ingressado com ação na Justiça tendo como objeto o pagamento de 7ª e 8ª horas e cinco empregados não haviam exercido em caráter efetivo nenhum cargo em comissão de PCC com jornada de oito horas, não constituindo portanto o público-alvo da CCV.


De acordo com o diretor do Sindicato, Marcos Saraiva, é importante ressaltar que, frustrada a negociação, o empregado mantém o direito de ingressar na justiça. “A CCV destina-se aqueles que por opção própria não entraram com ações na justiça, podendo agora buscar os seus direitos de indenização através da Comissão de Conciliação”, explica.


Na CCV, os empregados da Caixa não são obrigados a aceitar as propostas apresentadas pelo banco. No entanto, questões que poderiam ser demoradas e envolver ações judiciais podem ser simplificadas a partir do debate entre o empregado e os representantes da empresa. O bancário preenche o formulário no Sindicato e aguarda sessão de conciliação com representantes da Caixa. No entanto, frustrando a negociação, o empregado mantém o direito de ingressar na justiça, postulando seu direito.