Conselho de Usuários volta a cobrar dados atualizados

9


O Conselho de Usuários do Saúde Caixa, formado por representantes dos empregados, dos aposentados e da empresa, discutiu diversos assuntos de interesse dos usuários do convênio médico em reunião ocorrida dia 17/12, em Brasília.


Um dos itens da pauta foi a dificuldade do Conselho em obter dados mais atualizados do plano. O último relatório atuarial é de 2010. A Caixa diz que o superávit será de R$ 450 milhões este ano. Sem as informações, os representes dos empregados não podem analisar, por exemplo, o que pode ser feito com o recurso. A Caixa prometeu apresentar números de 2013 na próxima reunião, em fevereiro.


Fabiana Uehara, diretora executiva da Contraf-CUT e conselheira suplente, disse que a Caixa não definiu nem os cinco conselheiros que deveria indicar. Ou seja, o fórum não tem nada de paritário. Muitas conquistas vieram das reivindicações, mas a Caixa apresenta como benefício.


Outro tema abordado no encontro foi o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) da Agência Nacional de Saúde, divulgado no dia 3/12, que ranqueia as operadoras a partir de indicadores como atenção à saúde, satisfação de beneficiários, entre outros. Segundo o relatório, o Saúde Caixa tem a quarta pior avaliação. A Caixa explicou que o atual sistema não está adaptado ao modelo da ANS. Por isso, para o banco, o resultado final não condiz com a real situação do plano.


Com o objetivo de facilitar o acesso às informações pelos beneficiários, a Caixa informou que criou um aplicativo do Saúde Caixa para smartphones e tablets. A versão para sistema Android já está disponível, e a para IOS deve ser lançada em breve.


O Conselho de Usuários do Saúde Caixa também cobrou informações sobre a realização dos check-ups para que o assunto seja debatido de forma mais aprofundada. A empresa detalhou que foram realizados 3.625 entre janeiro e novembro, a um custo de R$ 7,8 milhões. O check-up é considerado um importante instrumento de prevenção à saúde do trabalhador.


Já com relação à inadimplência, outro item da pauta da reunião, a Caixa cobrou os aposentados de maneira mais específica. Essa inadimplência é de apenas R$ 2,8 milhões. Segundo os representantes dos empregados, isto não é nada frente ao superávit. Além disso, 50% dos aposentados inadimplentes já são falecidos e a representação acredita que a Caixa está cobrando sem dar tratamento adequado às informações que tem.