Contra ?saidinha de banco?, Contraf-CUT quer isenção de tarifas de transferência

39

A Contraf-CUT apresentou para a Fenaban na quarta-feira, dia 16/3, em São Paulo, a proposta de isenção das tarifas de transferência de recursos (DOC, TED, ordens de pagamento etc) para ajudar a combater o crime de “saidinha de banco”, durante a retomada da Mesa Temática de Segurança Bancária. Os bancos ficaram de analisar a reivindicação e o assunto foi pautado, junto com a divulgação pela Fenaban dos dados estatísticos semestrais de assaltos, para a próxima reunião, agendada para o próximo dia 29/4.


“Trata-se de uma nova medida que estamos propondo para enfrentar esses ataques que já causaram a morte de três clientes neste início do ano e estão apavorando os trabalhadores e a sociedade”, afirma o secretário de imprensa da Contraf-CUT e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária, Ademir Wiederkehr. A edição do Bom dia Brasil da Globo do dia 16/3 informou que estão ocorrendo uma média diária de seis casos de “saidinha de banco” no Rio e oito em São Paulo, o que é assustador.


“A justificativa é reduzir a circulação de dinheiro na praça, pois temos verificado que muitos clientes, quando precisam efetuar transferências de valores para outros bancos, preferem efetuar saques para não pagar essas tarifas, que são cobradas pelos principais bancos, enquanto são isentas pela maioria das instituições, conforme informações do site do Banco Central”, destaca o ofício da Contraf-CUT, que traz uma tabela com os valores de algumas tarifas dos bancos.


Para Ademir, “a isenção dessas tarifas em todos os bancos fará com que muitos clientes deixem de ser alvo de quadrilhas, contribuindo para melhorar a segurança e proteger a vida das pessoas”.


No documento, a Contraf-CUT reitera “a necessidade de instalação de equipamentos que visam garantir a privacidade e evitar a visualização por ‘olheiros’ das operações nos caixas, que constam na Minuta de Reivindicações da Campanha Nacional dos Bancários de 2010”.


“Queremos também câmeras de filmagem, com monitoramento em tempo real, instaladas em todos os locais de circulação de clientes, nas calçadas e áreas de estacionamento das agências e postos de atendimento; biombos entre a fila de espera e a bateria de caixas; e divisórias individualizadas entre os caixas, inclusive os eletrônicos; dentre outros equipamentos”, destaca o dirigente sindical.

CALENDÁRIO DE REUNIÕES – Na primeira reunião da Mesa Temática de Segurança Bancária em 2011, a Contraf-CUT, federações e sindicatos ainda definiram o calendário das próximas reuniões, que deverão ocorrer no final dos meses de abril, maio e junho.


Também participaram da reunião desta quarta-feira representantes da Fetec-SP, Fetraf-MG, Feeb SP-MS e Fetec-PR.