Contraf-CUT afirma que emprego é prioridade em reunião com Santander

29

A garantia de emprego é prioridade para o movimento sindical. O recado foi dado pela Contraf-CUT e o Sindicato dos Bancários de São Paulo, durante reunião ocorrida nesta quarta-feira (13) com o presidente do Santander Brasil, Marcial Portela, na sede do banco, na capital paulista. O encontro durou cerca de uma hora e havia sido solicitado através de cartas enviadas pelas duas entidades sindicais, após várias especulações divulgadas pela imprensa sobre uma possível venda da subsidiária brasileira do banco, diante da crise financeira na Espanha.


Portela reiterou que “o banco não está à venda”, repetindo declarações já feitas à imprensa. Ele também explicou que o Santander não precisará utilizar o resgate financeiro disponibilizado pela União Europeia para os bancos espanhóis. “Ele manifestou ainda disposição de continuar dialogando com o movimento sindical sempre que necessário”, diz o presidente da Contraf-CUT.

Concentração bancária – Os dirigentes sindicais também demonstraram preocupação com o processo de concentração bancária no Brasil. “Nos últimos anos, circularam muitos boatos sobre fusões de bancos, sendo que alguns viraram realidade, como o Santander e o Real, e o Itaú e o Unibanco, enquanto outros não se concretizaram, como a venda do HSBC”, destaca o presidente da Contraf-CUT.

Venda responsável de produtos – Os dirigentes sindicais defenderam a assinatura de uma declaração conjunta com o Santander que garanta a venda responsável de produtos financeiros, a exemplo do instrumento firmado com o Comitê de Empresa Europeu e válido para todos os países da zona do euro onde o banco atua.