Contraf-CUT cobra cumprimento de acordos e intensificará pressão no BB

20

A reunião da mesa de negociação permanente entre Contraf-CUT e Banco do Brasil ocorrida na quarta-feira, dia 28, em Brasília, não trouxe grandes avanços para os funcionários. A Confederação orienta os sindicatos a intensificar a mobilização para pressionar o BB pela imediata implantação do plano odontológico, apresentação do novo Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS) e outras reivindicações.

COMITÊ DE ÉTICA NACIONAL – O principal progresso dessa reunião foi a criação do Comitê de Ética Nacional a partir da instalação de uma gerência de Divisão dentro da Vipes/Diref, composta por cinco funcionários. Essa gerência está criando normativos e treinamentos específicos para os funcionários que vão compor os comitês regionais. Cada um deles contará com cinco integrantes: quatro indicados por gerências regionais (Gepes, Super, Ajure e CSL/CSO) e um eleito pelos funcionários com o acompanhamento dos sindicatos.

PLANO ODONTOLÓGICO – No caso do plano odontológico, é grave o descaso da direção do Banco, cujos representantes não apresentaram qualquer nova informação na reunião desta quarta. A implantação do benefício foi acertada na Campanha Salarial de 2008, quando ficou estabelecido que o plano passaria a funcionar em junho do ano seguinte. Alegando falta de recursos técnicos e administrativos, a direção da Cassi não conseguiu ampliar seu plano para os funcionários do BB, fazendo com que o banco assinasse termo de compromisso com as entidades sindicais para efetivar a assistência odontológica até o dia 31 de janeiro deste ano.

MAIS CONTRATAÇÕES – A Comissão de Empresa cobrou que a contratação de mais funcionários ocorra mais rapidamente. Este item faz parte do acordo coletivo e prevê a contratação de 10 mil novos bancários até dezembro de 2011. Na época da negociação dessas contratações, o movimento sindical debateu a necessidade da melhoria das condições de trabalho, especialmente nas dependências com cinco funcionários, e reivindicou a ampliação do patamar mínimo de funcionários nas agências, propondo que o número suba para, pelo menos, sete funcionários.

SESMT – Quanto ao concurso e às contratações para constituição dos Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (Sesmt), o banco está finalizando o levantamento dos funcionários da carreira administrativa aptos para participarem de uma seleção interna, estabelecendo então as vagas que serão ofertadas em concurso externo. Alegando problemas em virtude da trava para concurso em ano eleitoral, para não descumprir o prazo de 31 de agosto, o BB promoverá uma implantação parcial, dando prioridade para o quadro de engenharia do trabalho, buscando minimizar os problemas relacionados à NR 17, que são os de maior incidência nas ocorrências acompanhadas Diref/Vitae.

CENTRAIS CLANDESTINAS – A Comissão de Empresa denunciou a criação de centrais clandestinas de crédito em várias regiões do país. Essas centrais contam com a mão-de-obra dos bancários de agências, que são transferidos por alguns dias para a Gerev, deixando suas dependências de origem desfalcadas. Procura-se, assim, fazer com que atinjam as metas de crédito estabelecidas pela direção do banco.