Contraf-CUT cobra mais contratações e fim da rotatividade no Santander

12


Em reunião do Comitê de Relações Trabalhistas (CRT) do Santander, ocorrida na quarta-feira, dia 27/2, em São Paulo, a Contraf-CUT, federações e sindicatos voltaram a cobrar mais contratações de funcionários e fim da rotatividade, bem como o acesso aos dados mensais do banco ao Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego. Os representantes do banco espanhol ficaram de levar as propostas para avaliação interna.


Condições de trabalho – As entidades sindicais discutiram as demandas da pauta de reivindicações, buscando melhoria das condições de trabalho nas agências, postos de atendimento e centros administrativos. Uma das propostas reiteradas foi novamente o fim das metas para os caixas. Foi reivindicado também o fim das reuniões diárias para cobrança de metas. O banco propôs que o tema seja tratado em reunião específica, com data indicativa para o próximo dia 27/3, a ser confirmada.


Monitoramento de resultados – A representação sindical denunciou que continua recebendo denúncias de descumprimento da cláusula 35ª da CCT, que proíbe a exposição de ranking individual. O banco informou que tem feito comunicados à rede de agências, com orientações sobre a forma correta de divulgação dos resultados.


Plano de Cargos e Salários – A Contraf-CUT reivindicou outra vez a criação de um plano de cargos e salários (PCS). O banco voltou a dizer que “PCS é para empresa pública, uma vez que na iniciativa privada a realidade é outra”. Os dirigentes sindicais rebateram.


Bolsas de auxílio-educação – As entidades sindicais reivindicaram informações referentes ao total de solicitações, número de vagas preenchidas, quantidade de recusas e os motivos das mesmas referentes ao 1º semestre de 2013. O banco informou que o período de novas inscrições vai até o dia 15/3. Já as informações sobre as bolsas que serão concedidas em 2013 serão apresentadas até o próximo CRT.


Manutenção da assistência médica para aposentados – A representação sindical reiterou a reivindicação de que seja assegurado aos empregados com cinco anos ou mais de vínculo empregatício, bem como para seus respectivos dependentes, a manutenção do plano de saúde durante a aposentadoria, nas mesmas condições de cobertura assistencial de que gozavam quando da vigência do contrato de trabalho.


Redução dos juros e isenção de tarifas para funcionários e aposentados – A representação sindical reivindica a redução das altas taxas de juros de empréstimos, consignado, cheque especial, cartão de crédito, bem como a isenção das tarifas bancárias para todos os funcionários ativos e aposentados. O banco, porém, disse que já oferece condições diferenciadas em produtos e serviços aos funcionários.


Nova segmentação de clientes – As entidades sindicais cobraram informações do banco sobre a implantação de agências Select com a exigência do Certificado da Ambima CPA-20. O banco explicou que se trata de uma política de segmentação, a exemplo do Van Gogh, porém voltada aos clientes de alta renda, nos moldes do Private e Personnalité de outros bancos. Também disse que se propõe a realizar uma apresentação aos dirigentes sindicais para detalhar a dinâmica do Select, em data a ser definida para o mês de abril.


Programa de Reabilitação Profissional – A representação sindical reivindicou a apresentação de Programa de Reabilitação Profissional, conforme estabelece a cláusula 43ª da CCT. O banco concordou em discutir o tema no Fórum de Saúde e Condições de Trabalho, em data a ser agendada.


Pessoas com deficiência (PCD) – As entidades sindicais reivindicaram melhores condições de trabalho e valorização dos funcionários com deficiência (PCD), com a transferência de suas lotações para locais mais próximos de suas residências. O banco informou que desenvolve diversas ações voltadas para esse público e propôs a realização de uma reunião específica com data indicativa do próximo dia 14 ou 15/3.