Contraf-CUT denuncia Banco do Brasil pelo descomissionamento de mais de 700 caixas

26


A Contraf-CUT ingressou com uma denúncia contra o Banco do Brasil junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), em Brasília, pelo descomissionamento de mais de 700 caixas em todo o País.


Em janeiro de 2018, o BB anunciou continuidade do seu processo de reestruturação com redução de cargos, criação de outros e previsão de corte de 1.200 caixas nas agências, postos de atendimento e PSO.


Ao longo de dois meses, houve tentativa de negociação com o BB no sentido de realocar e proteger a renda dos caixas nas unidades. O BB anunciou uma série de medidas e esforços para nomeação dos caixas em vagas de assistentes, o que resultou em muitas nomeações e realocações e reduziu o número de caixas excedentes no final de fevereiro. Contudo, as medidas foram insuficientes para evitar o descomissionamento em massa de mais de 700 trabalhadores.


Depois do anúncio e corte dos cargos, inviabilizando a manutenção dos salários dos funcionários, assim como nos demais cargos em casos de reestruturação, a Contraf-CUT entrou com uma denúncia junto ao MPT buscando um processo de mediação que retire a discriminação com os caixas. A Comissão de Empresa dos Funcionários do BB continua à disposição do BB para negociação e aguardando também a manifestação do Ministério Público.


“Quando o Banco se nega a negociar temos que recorrer às esferas maiores. A disposição do Banco do Brasil em negociar, após o golpe, é praticamente nula”
Jannayna Lima, diretora de Saúde do SEEB/CE e membro da Comissão de Empresa/BB