Contraf-CUT negocia e Fenacrefi apresenta proposta com aumento real

24


Em negociação ocorrida na quarta-feira (10/10) com a Contraf-CUT, federações e sindicatos, em São Paulo, a Fenacrefi apresentou proposta para a campanha salarial dos financiários. Com data-base em 1º de julho, as financeiras ofereceram reajuste de 6,96% (aumento real de 2%) e de 7,96% (ganho real de 2,96%) nos pisos, auxílio refeição, cesta-alimentação e 13ª cesta. Já o valor fixo da PLR cresce 10%, passando de R$ 1.600,00 para R$ 1.760,00 com teto de R$ 7.998,50.


Com aumento real nos salários, valorização dos pisos e verbas e elevação da PLR, a Contraf-CUT orienta a aprovação da proposta nas assembleias dos financiários, que os sindicatos devem realizar entre os dias 15 e 19/10.


PLR – Com relação à PLR, a Fenacrefi oferece o pagamento de 90% sobre as verbas fixas mais valor fixo de R$ 1.600,00 + 10% = R$ 1.760,00, com teto de R$ 7.998,50 + 6,96% = R$ 5.555,19. Além disso, a proposta prevê o adiantamento de 60% do fixo que acontece 10 dias após a assinatura da convenção coletiva, no valor de R$ 1.056,00. A segunda parcela da PLR deve ser creditada em fevereiro e as diferenças salariais (tíquete, vale alimentação e salário) serão pagas até novembro.


Verbas de alimentação – Se aprovada a proposta, o auxílio-refeição passa dos atuais R$ 20,38 ao dia para R$ 22,00; e a cesta-alimentação salta de R$ 321,46 para R$ 347,05 ao mês (mesmo valor da 13ª cesta).


Novas negociações – As negociações devem ser retomadas em março de 2013. Dois pontos principais, sem avanço nas negociações deste ano, devem estar na pauta. Um deles é a unificação da data-base, uma reivindicação histórica dos financiários. Isso seria o primeiro passo para uma convenção coletiva nacional, como ocorre há 20 anos com os bancários que possuem data-base única em 1º de setembro. Outro ponto reivindicado pelos financiários é a adequação da PLR ao modelo dos bancários.