Contraf-CUT quer discutir ajustes dos bancos com ministro da Fazenda

11


A Contraf-CUT enviou na quinta-feira (6/12) uma carta ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, pedindo uma audiência, “a fim de que possamos discutir o processo de reestruturação no sistema financeiro, buscando medidas para garantir a proteção do emprego dos bancários e a defesa dos interesses da sociedade brasileira”. O ofício é assinado pelo presidente Carlos Cordeiro e o secretário de imprensa Ademir Wiederkehr.


“Estamos muito preocupados com o processo em andamento de reestruturação no sistema financeiro, que está provocando milhares de demissões de bancários e ocasionando profundas incertezas para o emprego da categoria, a ampliação do crédito e a qualidade de atendimento da população”, justifica o documento.


A entidade cita os ajustes em curso no Itaú, Santander e Citibank. Apesar do lucro de R$ 10,1 bilhões nos primeiros nove meses do ano, o maior banco privado do País cortou 7.831 postos de trabalho no período, sendo 2.090 no terceiro trimestre. O Citibank anunciou na quarta-feira (5/12) o fechamento de 14 das 98 agências no Brasil.


Já o Santander Brasil atingiu lucro gerencial de R$ 4,7 bilhões até setembro, o que representa 26% do resultado mundial do banco espanhol. Nenhum outro país apresentou tanto ganho para a instituição como o Brasil.


“Como se não bastasse, os resultados da 14ª Pesquisa de Emprego Bancário, feita com base nos dados do Caged pela Contraf-CUT e Dieese, revelaram que a rotatividade continua sendo alta nas instituições financeiras”, salienta a correspondência.