Contraf-CUT rejeita formulação apresentada pela Fenaban sobre call center

24

A Contraf-CUT, federações e sindicatos participaram no dia 19/6, da retomada da mesa temática de terceirização com a Fenaban, em São Paulo. As entidades sindicais rejeitaram a formulação trazida pelos representantes dos bancos sobre como reverter o processo de call center das instituições financeiras.


A formulação apresentada pela Fenaban trata de incluir esse grupo de terceirizados na categoria bancária aplicando a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) no tocante aos direitos e benefícios, mas sem contemplar o piso salarial da categoria.


“Não podemos aceitar a redução do piso da categoria para esse segmento, até porque já fizemos contratações banco a banco, nas quais foi mantido o cumprimento da CCT na íntegra, inclusive com os pisos da categoria. Nesses casos tratamos de maneira diferenciada apenas a questão da jornada de trabalho, uma vez que este setor trabalha ininterruptamente 24 horas por dia, inclusive sábados, domingos e feriados”, afirma Miguel Pereira, secretário de Organização do Ramo Financeiro da Contraf-CUT.


“No caso específico do call center é inviável aceitarmos a formulação até porque já temos contratação com diversos bancos do sistema, em que o centro do ajuste foi a jornada de trabalho nos finais de semana e feriados e não a redução do piso da categoria. Não há a menor lógica em estabelecermos um padrão de contratação via Fenaban que rebaixe um patamar já conquistado em contratação banco a banco”, completa Miguel.


A proposta é que a Fenaban reveja a formulação apresentada na mesa. “Este assunto ainda não se encerrou neste espaço de debate. A construção da proposta deve continuar. Queremos também abranger outras áreas de serviços terceirizados que não seja o call Center”, ressalta Miguel.

Números – As entidades sindicais registraram mais uma vez a necessidade de se ter o mapeamento de quantas pessoas estão envolvidas no serviço de call center. Porém, a Fenaban afirmou que não é possível ter o levantamento exato, porque essa é uma informação de cada banco.