Contraf-CUT retoma discussões das Mesas Temáticas com a Fenaban

37

Na semana passada, a Contraf-CUT retomou as negociações das mesas temáticas de Saúde do Trabalhador e sobre Segurança Bancária com a Fenaban. Na terça-feira, dia 20/4, os debates foram sobre assédio moral e metas abusivas no encontro da Contraf-CUT com os representantes dos banqueiros. Os bancários pautaram os principais pontos da pauta de reivindicações sobre os dois temas, que já foi objeto de negociação durante a campanha salarial de 2009.


As negociações entre as partes durante a campanha apresentaram avanços em direção à formulação de um programa de combate ao assédio moral nos bancos. No entanto, algumas divergências impediram a aprovação da proposta ainda em 2009. Os bancos apresentaram também um documento sobre o tema, com os pontos que avançaram nas discussões recentes.


No caso das metas, a questão é mais complicada e os bancos não mostraram disposição de negociar durante a campanha salarial. Na reunião sobre saúde, os representantes das empresas se comprometeram a avaliar as questões trazidas pelos trabalhadores sobre os dois temas e trazer uma posição na próxima reunião, agendada para o dia 5 de maio.


“Avaliamos como positiva a retomada do processo de negociação nas mesas temáticas. Consideramos que esse é o espaço adequado para o estabelecimento de um diálogo transparente que supere divergências e leve a novas conquistas para os trabalhadores”, afirma Plínio Pavão, secretário de Saúde da Contraf-CUT.

MESA DE SEGURANÇA DEBATE ASSISTÊNCIA ÀS VÍTIMAS DE ASSALTOS – A necessidade de garantir assistência às vítimas de assaltos foi o tema central dos debates da Contraf-CUT na continuidade da mesa temática de Segurança Bancária com a Fenaban, ocorrida quinta-feira, dia 22/4, em São Paulo. Os dirigentes sindicais defenderam atendimento médico e psicológico aos bancários que presenciaram assaltos, consumados ou não, além de tratamento e medicamentos, custeado pelos bancos. Os bancários também propuseram segurança indivi- dual e acompanhamento do banco no reconhecimento de suspeitos na polícia, inclusive com advogado, se fizer necessário.


Os representantes da Fenaban agendaram nova reunião para o próximo dia 1º de junho, às 15h30, na capital paulista. “Vamos aprofundar os debates e discutir também com os bancos a assistência às vítimas de sequestros, visando garantir atendimento para os trabalhadores e as suas famílias”, salienta o diretor do Sindicato dos Bancários de Belo Horizonte e representante da Fetraf-MG, Leonardo Fonseca.

OUTRAS MESAS – Já estão agendadas reuniões das demais mesas temáticas entre trabalhadores e bancos. Veja o calendário dos próximos encontros:

• Terceirização, dia 26/4, às 15h30

• Igualdade de Oportunidades, dia 4/5, às 15h30

• Saúde do Trabalhador, dia 5/5, às 15h30.