Contraf pressiona e CEF aceita proposta para atrasados do plano de saúde

61

Em negociação no dia 16/8, a Caixa aceitou a proposta dos representantes dos bancários para a cobrança dos atrasados do Saúde Caixa. Com isso, não será cobrada correção monetária e será respeitado o limite de 10% do salário previsto no plano. Ficou acertado também que o banco vai apresentar aos empregados os extratos com o valor total da dívida, dividido mês a mês e por procedimento. A apresentação está prevista para 20/11, com início dos débitos em folha em 20/01/2008.


Em caso de atraso, haverá obrigatoriamente um prazo de 60 dias entre a apresentação dos dados e o início da cobrança. As discrepâncias significativas serão renegociadas. Porém, haverá opção para o empregado financiar a dívida em até 24 meses. Os bancários apresentaram proposta para a constituição dos comitês de acompanhamento de credenciamento e descredenciamento dos profissionais e entidades do plano. Pela proposta, serão indicados cinco representantes (com suplentes) por GIPES pelas federações ligadas à Contraf-CUT. O Comitê terá poder de denunciar e discutir alternativas para irregularidades cometidas por credenciados. A Caixa ficou de analisar a proposta, mas em princípio se mostrou favorável e propôs a criação de um regimento para esses comitês.


Foi cobrada ainda a questão da extensão do Saúde Caixa para os que se aposentaram pelo PABV, além da implantação do Caixa Família. O novo plano incluirá parentes não dependentes (como pais, filhos maiores de 21 anos não estudantes, filhos maiores de 24 anos etc). O banco irá verificar o andamento das questões.


Foram discutidas também as dívidas impagáveis do antigo REG/Replan. A Caixa declarou não ter uma posição porque ficou sem sistema e não pode analisar os dados.


Outra discussão foi sobre as ações antigas contra o Saúde Caixa movidas pelas entidades. A idéia é chegar a um acordo sem prejuízo para os empregados.