Contribuição assistencial fortalece a categoria, com teto de R$ 40 por bancário

9


Os bancários fizeram uma greve forte de 23 dias para quebrar a intransigência da Fenaban e dos bancos públicos e garantir continuidade da política de ganho real.  Nossa mobilização teve início desde o 1º semestre, com os preparativos para os congressos regionais e nacionais dos bancos. Foram diversas atividades, entre reuniões nos locais de trabalho, assembleias, encontros, bem como o envio de delegados à 17ª Conferência Nacional dos Bancários, em São Paulo. Além disso, houve investimentos para montar a infraestrutura e organização da greve.


Em assembleia realizada no dia 6 de agosto de 2015, na sede do Sindicato dos Bancários do Ceará, conforme publicado em edital, foi aprovada contribuição assistencial de 2% (dois por cento) da remuneração bruta de todos os bancários, limitado ao teto (valor máximo) de R$ 40,00 (quarenta reais), a ser descontado de uma única vez na folha de pagamento do mês de dezembro de 2015.


O valor ajuda a cobrir os gastos do Sindicato com a Campanha e de toda a estrutura e organização disponibilizada para os 23 dias de greve no Estado. O Sindicato garante aos bancários o não desconto da contribuição assistencial, no prazo de 10 dias úteis, de 9 a 20/11, mediante requerimento individual assinado pelo interessado e protocolado pessoalmente na Tesouraria do Sindicato, de segunda a sexta, das 8 às 16 horas (Rua 24 de Maio, 1289 – Centro). Não serão aceitas solicitações de terceiros.


Bancários da Região Metropolitana e do Interior do Estado poderão enviar suas solicitações ao não desconto da contribuição assistencial por via postal (postada durante o período acima citado, e com cópia de documento pessoal). Mais informações pelo e-mail: bancariosce@bancariosce.org.br. Bancário, você faz parte dessa luta!